Poesia e prosa porosas: um manifesto de Alberto Pucheu em favor da criação

Autores

  • André Monteiro Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil
  • Edmon Neto Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v29i1.34108

Palavras-chave:

Poesia, Crítica literária. Filosofia. Interdisciplinaridade. Alberto Pucheu.

Resumo

O presente trabalho faz uma leitura da obra de Alberto Pucheu, trazendo à luz a discussão sobre o fazer poético e crítico, vistos como uma atitude primordialmente criadora. Para o autor, existe uma indistinção entre poesia e crítica, que são saberes que se encontram em um “desguarnecimento de fronteiras”, cujo encontro se dá no interior da própria criação. Nessa perspectiva híbrida, buscar-se-á compreender a maneira pela qual ocorre a fusão entre esses campos, privilegiando o pensamento de pós-estruturalistas, como Roland Barthes, Gilles Deleuze e Giorgio Agamben.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Monteiro, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil

Pós-doutor em Estudos da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Atualmente, é professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Downloads

Publicado

2017-06-13

Como Citar

MONTEIRO, A.; NETO, E. Poesia e prosa porosas: um manifesto de Alberto Pucheu em favor da criação. Signótica, Goiânia, v. 29, n. 1, p. 242–258, 2017. DOI: 10.5216/sig.v29i1.34108. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/34108. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigo