Interrogatórios policiais da delegacia de repressão a crimes contra a mulher: algumas práticas sequenciais de negociação

  • Paulo Cortes Gago UFJF
  • Priscila Júlio Guedes Pinto UFJF.
Palavras-chave: Interrogatórios policiais, Delegacia da Mulher, Negociação, Interação, Análise da Conversa Etnometodológica.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo descrever duas práticas sequenciais de negociação, utilizadas por um inspetor de polícia nos interrogatórios policiais da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Mulher (DRCCM): (i) sequências de encaminhamento para apresentação de solução pelas partes; e (ii) sequências de apresentação de solução pelo inspetor. Utiliza-se como referencial teórico-metodológico a Análise da Conversa Etnometodológica para o estudo de práticas sociais construídas localmente nas interações. Esse estudo é de natureza aplicada e mostra que os policiais fazem negociação nos interrogatórios. Espera-se que este material possa servir de base para a reflexão profissional de policiais para melhor atenderem à população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Cortes Gago, UFJF
Professor Adjunto de Liinguistica
Priscila Júlio Guedes Pinto, UFJF.
Doutoranda do curso de Lingística da UFJF.
Publicado
26-12-2012
Como Citar
Gago, P. C., & Júlio Guedes Pinto, P. (2012). Interrogatórios policiais da delegacia de repressão a crimes contra a mulher: algumas práticas sequenciais de negociação. Signótica, 24(2), 339-365. https://doi.org/10.5216/sig.v24i2.19169
Seção
Artigo