Padrões de uso da expressão "sei lá" no português

Mariângela Rios de Oliveira, Leonardo Pereira dos Santos

Resumo


Com base na perspectiva da gramaticalização de construções (traugott, 2008; noël, 2007), este artigo trata dos padrões de uso da expressão sei lá verificados em textos falados por estudantes brasileiros: como modalizador e como marcador discursivo. A partir da aplicação de seis fatores aos dados de pesquisa, é possível constatar que a função modalizadora situa-se em cline menos avançado de gramaticalização face à função marcadora, bem como detectar que fatores de ordem metonímica, no nível interno da expressão e dos contextos maiores de sua ocorrência (gênero textual e sequência tipológica), motivam os padrões funcionais em que se articula sei lá.


Palavras-chave


Sei lá; gramaticalização; construção; morfossintaxe; funcionalismo

Texto completo:

PDF XML


DOI: https://doi.org/10.5216/sig.v23i2.17529

Creative Commons License

 

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.revistas.ufg.br

Visitantes: contador de visitas

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

 

 

 

EBSCO


<JURN

LATINDEX

DIADORIM IBICT

PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES

DIALNET

 

Apoio:

PRPG/UFG e CEGRAF/UFG

Associado a: