Homo Academicus: crise identitária e prática científica

  • Dina Maria Martins Ferreira Universidade Estadual do Ceará
Palavras-chave: identidade, logos, dogma, doxa

Resumo

Este estudo visa a argumentar sobre o construto identitário do homo academicus, ou seja, o intelectual que se estabelece no campo universitário, compartilha habitus e atitude dóxica (Bourdieu, 2007; 2009; 2011). No que tange às etiquetas identificadoras,  Bauman  (2007) categoriza o intelectual pela prática científica, situada por relações históricas. Na convergência entre espaço, valores e performativos, constrói-se uma estrada da qual emergem a  prática logocêntrica que se transforma em dogma a partir da permanência de práticas dóxicas do século das Luzes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dina Maria Martins Ferreira, Universidade Estadual do Ceará

Profesora Visitante Concursada do Programa de Pós-Graduação em Linguística, Centro de Humanidades, UECE. Pós-doutora em Linguística e Ciências Sociais pela Unicamp e Sorbonne V (2009-2010), pós-doutora pela Unicamp (2002-2003|), doutora pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995), Mestre em Análise do Discurso pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1988).  

Membro pesquisadora de grupos de pesquisan sediados na Unicamp e na Sorbonne V, líder de grupo de pesquisa pela Pós-Graduação em Linguística Aplicada da UECE.

Publicado
24-09-2012
Como Citar
Ferreira, D. M. M. (2012). Homo Academicus: crise identitária e prática científica. Signótica, 24(2), 287-303. https://doi.org/10.5216/sig.v24i2.17078
Seção
Artigo