O uso panóptico da COVID 19 na educação:

sentido, postura! Ligue a câmera, ligue os sentidos, desligue o coração, vamos estudar!

Autores

  • Renata Silva Pamplona Instituto Federal De Educação, Ciência e Tecnologia Goiano - Campus Rio Verde.
  • José Sílvio de Oliveira Universidade Federal de Jataí https://orcid.org/0000-0002-3600-3655

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v16i1.65970

Resumo

Resumo:

Este ensaio objetiva analisar o contexto das atividades remotas de ensino e do trabalho docente no Brasil, em meio à pandemia do coronavírus (COVID-19), a partir da premissa da possível constituição de arranjos, capturas e controle do exercício pedagógico virtual. Assim como do desdobramento de exclusões endereçadas a alguns segmentos da população estudantil brasileira. A metodologia se organiza no uso analítico de categorias foucaultianas, tais como: panóptico, relações de saber-poder, governamentalidade, biopolítica, dispositivo, discurso, regimes de verdades. Serão tomadas como referências de pesquisa as obras de Michel Foucault (1982a, 1982b, 1986, 2002a, 2002b, 2008, 2009, 2010, 2012), Nietzsche (1974, 1998, 2011), entre outras. Compreende-se o panóptico e seu uso, no contexto em questão, como um dispositivo de vigilância e regulamentação do trabalho docente e discente. As reflexões finais buscam tecer um olhar de estranhamento e convite à resistência em relação aos regimes de verdades arquitetadas a respeito das ações e desígnios realizados no âmbito da educação escolar brasileira, no decorrer da crise pandêmica de 2020.

Palavras-chave: Pandemia de Covid-19. Ensino virtual. Panóptico. Relações de saber-poder.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Silva Pamplona, Instituto Federal De Educação, Ciência e Tecnologia Goiano - Campus Rio Verde.

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos/ UFSCar (2017). Bolsista Capes Estágio Sanduíche na Universidade de Coimbra/Portugal (2014). Mestra em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2012). Especialista em Educação Infantil pela Universidade Federal de Goiás (2005). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (2001). Docente no Instituto Federal Goiano/IF Goiano - Campus Rio Verde. Docente no Instituto Federal de Goiás/IFG (2017- 2018)- Campus Jataí. Docente na Universidade Federal de Goiás (2005-2009) - Campus Jataí.  Atua principalmente nos seguintes temas: estudos de gênero; multiplicidades sexuais; sexualidade e educação; currículo; grupos minoritários de resistência; produção da subjetividade, psicologia da educação e Educação.

José Sílvio de Oliveira, Universidade Federal de Jataí

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de São Carlos, bolsa Capes na Universidade de Coimbra, Portugal. Mestre pelo PPGE na Universidade Federal de Goiás. Pós-grauação em Comunicação Social, Universidade de São Francisco SP Licenciado em Filosofia pela ESESEE/Brusque Santa Catarina, Formado Administração Rural - UFLA - Lavras, MG. Professor Adjunto da UAE/EDU da Universidade Federal de Goiás/REJ. Editor da Revista Itinerarius Reflectionis.oordenador grupo de paideia aristotélica e tomista. Coordenador do Curso de Pedagogia (2005 a 2007) da Regional Jataí. Tem experiência na área de filosofia da educação,  paideia clássica, etica aristotélica, em história da educação com ênfase em cultura e processos educacionais. 

Downloads

Publicado

2020-10-27

Como Citar

PAMPLONA, R. S.; SÍLVIO DE OLIVEIRA, J. . O uso panóptico da COVID 19 na educação: : sentido, postura! Ligue a câmera, ligue os sentidos, desligue o coração, vamos estudar!. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 16, n. 1, p. 01–19, 2020. DOI: 10.5216/rir.v16i1.65970. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/65970. Acesso em: 17 maio. 2022.

Edição

Seção

Educação Brasileira e a Ead no contexto pandêmico da Covid- 19: perspectivas e d