INFÂNCIA E CIDADANIA EM CAROLINA DE JESUS E SANDRA MARA HERZER

Autores

  • Doutora Elisângela da Silva Santos Universidade Federal de Goiás/Campus Jataí
  • Dayane Assis Nascimento

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v14i1.53612

Palavras-chave:

Carolina Maria de Jesus. Sandra Mara Herzer. Infância. Literatura Marginal

Resumo

Esse artigo tem como objetivo analisar aspectos da chamada literatura marginal, bem como, perceber como a infância é apresentada nas obras de duas autoras: Carolina Maria de Jesus (1914-1977) e Sandra Mara Herzer (1962-1982), que escreveram respectivamente os livros Quarto de Despejo (1960) e A queda para o alto (1983). Trata-se de mulheres, escritoras, poetisas, pobres, marginalizadas, sem oportunidades para usufruir de uma educação formal de qualidade, e que não se conformaram com a realidade que as cercavam. Essas características conectam as histórias de vidas das autoras que retomamos neste texto, cuja temática nos possibilitou enfrentar alguns temas caros à sociedade brasileira, como por exemplo a pobreza, a violência e o racismo. Aqui realizamos um aprofundamento teórico sobre o conceito de Literatura Marginal e como a questão da cidadania, tão requerida pelas autoras, aparece nestas obras, além de apresentarmos a percepção das escritoras sobre a infância e a criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Doutora Elisângela da Silva Santos, Universidade Federal de Goiás/Campus Jataí

Professora da Universidade Federal de Goiás, Campus Jataí do Departamento de Pedagogia. Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista/Unesp de Marília. Pesquisadora da área de Pensamento Social Brasileiro, Sociologia da Literatura e Sociologia da Infância e Educação.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete. A pesquisa com crianças em infâncias e a sociologia da infância. In: FARIA, Ana Lúcia Goulart de; FINCO, Daniela (Org.). Sociologia da Infância no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2011 (Coleção Polêmicas do nosso tempo).

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

CARNEIRO, Vinícius Gonçalves. Reflexões quanto à literatura marginal brasileira: comparando Ferréz a sua tradição literária. In: Estud. Lit. Bras. Contemp., Brasília , n. 50, p. 254-276, Apr. 2017 . Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2316-40185017 .

Acesso em: 06/ Ago/2017.

CARVALHAL, Thiago José Moraes. NO SENTIDO (de) DA(r) MARGEM (à literatura e à música): rap, cumbiavillera, Literatura Marginal e Realismo Atolondrado.2014. Dissertação (Mestrado em Letras Neolatinas) – Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Disponível em:http://www.letras.ufrj.br/pgneolatinas/media/bancoteses/thiagocarvalhalmestrado.pdf. Acesso em: 03/ago/2017.

CORONEL, Luciana Paiva. A censura ao direito de sonhar em Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus. Estud. Lit. Bras. Contemp., Brasília , n. 44, p. 271-288, Dec. 2014 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2316-40182014000200013&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 24/Abr/2017.

DEL PRIORE, M. (Org.) História da criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1998.

HERZER. Sandra Mara. A Queda para o Alto. Editora Vozes: Petrópolis, 1982.

JACQUET, Christine. Socialização das crianças e diversificação dos arranjos familiares. Salvador: EDUFBA, 2009. Disponível em: http://books.scielo.org/id/3w52w/pdf/mendonca-9788523208974-14.pdf

Acesso em: 07/ago/2016.

JESUS, Carolina. M. de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Livraria Francisco Alves, 1993.

KOSMINSKY, Ethel V. Internatos: os filhos do estado padrasto. In: MARTINS, José de Souza. (org.). O massacre dos inocentes: a criança sem infância no Brasil. São Paulo: Hucitec, 1993. P. 155-179.

Londoño, Fernando Torres. “A origem do conceito menor”. In: PRIORI, Mary Dey. (org.). História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 1999, p. 129-145.

MIRANDA, Fernanda Rodrigues de. Os caminhos literários de Carolina Maria de Jesus: experiência marginal e construção estética. 2013. 153f. Dissertação (Mestrado em Estudos Comparados de Literatura em Língua Portuguesa) – Departamento de Letras Clássicas e vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo.

MUZART, Zahidé Lupiaacci. “A questão do cânone”. Anuário de Literatura, Santa Catarina, n. 3, 1995, p. 85-94.

NOGUEIRA, Maria Alice. Relação família-escola: novo objeto na sociologia da educação. Paidéia (Ribeirão Preto), Ribeirão Preto, v. 8, n. 14-15, p. 91-103, Aug. 1998.

PERES, E. P. Poética de resíduos. Revista Fapesp Ed. 231. Maio/2015. Pp. 78-81. Disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2015/06/24/poetica-da-diaspora/ Acesso em: 18/mai/2015.

PEREZ, José Roberto Rus; PASSONE, Eric Ferdinando. Políticas sociais de atendimento às criancas e aos adolescentes no Brasil. Cadernos de pesquisa. 2010. Vol. 40. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v40n140/a1740140.pdf. Acesso em: 07/ago/2016

SOUZA, Germana Henriques Pereira de. Carolina Maria de Jesus: o estranho diário da escritora vira lata. Vinhedo: Editora Horizonte, 2012.

SOARES, Mei Hua. A literatura marginal-periférica na escola. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo 2009.

SUPLICY, Eduardo. Entrevista concedida ao Promenino Fundação Telefônica

[jun. 2015]. Entrevistador: Tânia Carlos. São Paulo, 2015.

Van-Zanten, A. H. (1988). Les families face à l'école - rapports institutionnels et relations sociales. Em P. Durning (Org) Education familiale: un panorama des recherches internationales. Paris: MIRE/Matrice. pp. 185-207

Downloads

Publicado

26-06-2018

Como Citar

da Silva Santos, D. E., & Nascimento, D. A. (2018). INFÂNCIA E CIDADANIA EM CAROLINA DE JESUS E SANDRA MARA HERZER. Itinerarius Reflectionis, 14(1), 01–22. https://doi.org/10.5216/rir.v14i1.53612

Edição

Seção

Artigos Livres