Contexto escolar e o ensino para surdos: a libras como instrumento de educação e de identidade

  • Andréa Guimarães de Carvalho Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil http://orcid.org/0000-0002-9748-8772
  • Renata Rodrigues de Oliveira Garcia Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil
Palavras-chave: Libras, Língua e identidade, Inclusão do Surdo, Letramento de surdos

Resumo

Este artigo discute Libras como instrumento de aprendizagem escolar e de empoderamento da comunidade surda. O objetivo deste trabalho é trazer reflexões sobre a constituição da cultura e da identidade dos surdos com aquisição tardia de Libras no contexto escolar, verificando ações socioculturais, pedagógicas e interdisciplinares, que ocorrem no processo de ensino e aprendizagem desses alunos. Goldfeld, Quadros e
Karnopp, Gesser, Rojo e Perlin, dentre outros autores, que sustentam as discussões teóricas. A metodologia envolveu a investigação dos Projetos Políticos Pedagógicos das escolas investigadas e propostas de ações de letramento envolvendo crianças surdas. Confirmou-se a relação entre a aquisição tardia da língua de sinais e as dificuldades escolares entre os alunos surdos investigados e a necessidade de se usar a Libras como língua de comunicação e interação entre os profissionais e demais alunos dessas escolas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Guimarães de Carvalho, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Doutoranda em Letras/Linguística pela Universidade de Brasília (UnB), Mestre em Educação pela UFG, graduada em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1996), em Pedagogia pela UAB/UnB (2013) e graduanda em Letras/Libras pela UFG/GO (2012-2015). Especialista em Audilogia pelo CEFAC e em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar pela UnB. Atualmente é professora do Curso de Pós-Graduação em Libras pela Uníntese e atua na secretaria municipal de educação de Senador Canedo - GO como pedagoga, fonoaudióloga e intérprete de libras efetiva. Tem experiência complementar como professora-instrutora no Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e como professora temporária pela Secretaria Estadual de Educação do Estado de Goiás e em Educação a Distância (EAD) como tutora presencial e a distância pelo Instituto Federal Goiano (bolsista).

Renata Rodrigues de Oliveira Garcia, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Graduada em Licenciatura de Letras:Libras, modalidade à distância pela Universidade Federal de Santa Catarina (2010) e graduação em Artes Visuais com habilitação em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Goiás (2001). Especialização em Métodos e Técnicas de Ensino pela Universidade Salgado de Oliveira (2004) e mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Goiás (2016). Doutoranda em Linguística pela Universidade de Brasília (2016 - atual). Atualmente é professora concursada da Faculdade de Letras - UFG, no curso de Licenciatura e Bacharelado em Letras:Libras. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Educação de Surdos, Ensino de Língua de Sinais, pesquisas linguísticas em Libras. Possui certificado de proficiência no uso e no ensino da Libras - nível superior, pelo PROLIBRAS/UFSC - MEC.

Referências

BRASIL. LEI Nº 10.098, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000. Estabelece normas gerais

e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de

deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em:

. Acesso em: mar. 2019.

GESSER, A. O ouvinte e a surdez: sobre ensinar e aprender a Libras. I. ed. São Paulo:

Parábola Editorial, 2012. 200 p.

GOLDFELD, M. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sóciointeracionista. São Paulo: Plexos, 1997.

KLEIMAN, A. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: Os

significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita.

Campinas, SP: Mercado das Letras, 1995.

PERLIN, G.T.T. Histórias de vida surda: identidades em questão. Dissertação

(Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Publicada em

Disponível em: <http://www.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/historias

_de_vida _surda__identidades_em_questao.pdf>. Acesso em: mar. 2019.

PEREIRA, M.C.C. Libras: Conhecimento além dos sinais. In: CHOI, D.; VIEIRA

M.I.; GASPAR, P.; NAKASATO, R. (Org.). São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

QUADROS, R. M. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. 2 ed. Porto

Alegre: Artmed, 2008.

QUADROS, R. M. e KARNOPP, L. B. Língua Brasileira de Sinais. Estudos

Linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ROJO, R. Letramento escolar, oralidade e escrita em sala de aula: diferentes

modalidades ou gêneros do discurso? In: SIGNORINI, I.(org.). Investigando a relação

oral/escrita e as teorias do letramento. Campinas: Mercado das Letras, 2001.

SANTA CATARINA (Estado). Política de educação Especial do Estado de Santa

Catarina: Programa Pedagógico. Secretaria de Estado da Educação. São José, SC:

FCEE, 2006.

SIGNORINI, I. Investigando a relação entre oral/escrito e as teorias de letramento.

Campinas, SP: Mercado das Letras, 2001.

SILVA, I.R.; KAUCHAKJE, S.; GESUELI, Z.M.. Cidadania, surdez e linguagem:

Desafios e realidades. São Paulo: Plexus Editora, 2003.

STROBEL, K. As imagens do outro sobre a cultura surda. 3. Ed. Florianópolis: Ed.

Da UFSC, 2008.

Publicado
02-12-2019
Como Citar
Carvalho, A. G. de, & Garcia, R. R. de O. (2019). Contexto escolar e o ensino para surdos: a libras como instrumento de educação e de identidade. Revista Sinalizar, 4. https://doi.org/10.5216/rs.v4.58737
Seção
Artigos