A interface entre a apropriação da linguagem por sujeitos surdos e a língua de sinais

  • Silvia Andreis-Witkoski Educação pela Universidade Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, Paraná, Brasil
  • Marta Rejane Proença Filietaz Educação pela Universidade Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, Paraná, Brasil
Palavras-chave: Linguagem, Língua de Sinais, Surdos, Bilíngue

Resumo

Este artigo aborda a apropriação da linguagem por surdos, apontando a relevância do papel da Libras em suas interações familiares, escolares e sociais. As discussões estão alicerçadas sobre a teoria sócio histórica de Vygotsky, segundo a qual o desenvolvimento da linguagem ocorre impulsionado pelas interações humanas. A partir dessa perspectiva teórica, foram levantadas questões sobre os efeitos da privação da Língua de Sinais em crianças surdas, uma lacuna que as impede de alcançar desenvolvimento semelhante ao das crianças ouvintes por não terem acesso a uma língua plena. Além da necessidade de a criança surda ter acesso à Língua de Sinais desde tenra idade, aponta-se também a importância da criação de um ambiente bilíngue familiar, escolar e social, para que ela possa ter interações de qualidade, fomentando a plena apropriação da linguagem e de outros desenvolvimentos correlatos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Rejane Proença Filietaz, Educação pela Universidade Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Doutora em Distúrbios da Comunicação pela Universidade Tuiuti do Paraná (2015). Professora efetiva da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Publicado
15-10-2019
Como Citar
Andreis-Witkoski, S., & Filietaz, M. R. P. (2019). A interface entre a apropriação da linguagem por sujeitos surdos e a língua de sinais. Revista Sinalizar, 4. https://doi.org/10.5216/rs.v4.58475
Seção
Artigos