Um estudo dos sinais bimanuais da língua brasileira de sinais na sublocação “costas da mão”

  • Valéria Simplício da Silva Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil
  • Margarida Maria Teles Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil
  • Edivaldo da Silva Costa Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil
Palavras-chave: Alofone, Costas da mão, Locação, Mão de apoio, Variação fonológica

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar como se apresentam os sinais da Língua Brasileira de Sinais
(Libras) produzidos com as duas mãos, em que a mão ativa configura o sinal e a passiva serve
de apoio para o sinal configurado, no que se refere ao subespaço “costas da mão”, da locação
“mão de apoio”, utilizados pelos sinalizadores surdos de Sergipe, utentes dessa língua de
matriz visual e modalidade espacial. Esse estudo teve como metodologia: a pesquisa
bibliográfica, utilizando os estudos linguísticos de Quadros, Karnopp, Felipe e Ferreira-Brito;
a pesquisa de campo, por meio da observação direta da sinalização dos participantes e do
vídeo-registro das variantes que ocorrem na forma como se apresenta o subespaço “costas da
mão”, da locação mão de apoio, na produção dos sinais, identificando se a frequência é maior
na forma de mão aberta ou fechada. Segundo os resultados desta pesquisa, as variações que
ocorrem na forma da mão do subespaço “costas da mão” quando um sinal é articulado sobre
ela, podem se caracterizar como um alofone, uma vez que essas variações não alteram o
sentido nem o significado dos sinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valéria Simplício da Silva, Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil

Professora Assistente do Departamento de Letras Libras da Universidade Federal de Sergipe. Doutoranda em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe. 

 

Margarida Maria Teles, Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil

Professora Assistente do Departamento de Educação da Universidade Federal de Sergipe. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe.

Edivaldo da Silva Costa, Universidade Federal de Sergipe (UFS), São Cristóvão, Sergipe, Brasil

Professor Assistente do Departamento Letras  Libras da Universidade Federal de Sergipe. Mestre e Doutor em Educação pela Universidade Federal de Sergipe. 

Referências

BATISSON, Robbin, Phonological deletion in American Sign Language. Sign Languages Studies, 1974.

BARRETO, Madson; BARRETO, Raquel. Escrita de Sinais sem mistérios. Editora do Autor: Belo Horizonte, 2012.

BRITO, Lucinda Ferreira et. al. Língua brasileira de sinais - LIBRAS. In: ______. (Org.) BRASIL, Secretaria de Educação Especial. Brasília: SEESP, 1998.

MATTOSO CÂMARA Jr., Joaquim. Estrutura da Língua Portuguesa. Petrópolis: Vozes, 2011.

CAPOVILLA, Fernando César; MAURÍCIO, Aline Cristina L.; RAPHAEL, Walkiria Duarte. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue - Novo Deit-LIBRAS - Língua de Sinais Brasileira, 2 volumes, 1. ed. São Paulo: Edusp. 2011.

FELIPE, Tânia Amara. Introdução à gramática da LIBRAS (Série Atualidades Pedagógicas). In: Brasil, Secretaria de Educação Especial, Brasília, 1998.

FERREIRA-BRITO, Lucinda; LANGEVIN, R. Sistema Ferreira Brito-Lavegin de transcrição de sinais. In: FERREIRA-BRITO, Lucinda. Por uma gramatica de língua de sinais. Rio de Janeiro: Babel, 1995.

KARNOPP, Lodenir Becker. Aquisição fonológica da Língua Brasileira de Sinais: Estudo Longitudinal de uma criança surda. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 1999.

KLIMA, Edwards S.; BELLUGI, Ursulla. The signs of language. Cambridge: Cambridge University Press, 1979.

LIDELL, Scott K.; JOHNSON. Robert. American Sign Language: the phonological base. In: VALLI, Clayton; LUCAS, Ceil (Org.). Lingustics of American Sign Language: na introduction. Washington, D.C.: Clerc Books / Gallaudet University Press, 2000.

NASCIMENTO, Sandra Patrícia Faria do. Representações lexicais da língua brasileira de sinais: uma proposta lexicográfica. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2009.

QUADROS, Ronice Müller; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Revista Língua Portuguesa. Os sotaques dos sinais. Disponível em: <http://www.deficienteonline.com.br/os-sotaques-dos-sinais-libras-de-um-jeito-diferente_news_5.html>., 23/02/2010. Acesso em: 10 set. 2010.

STOKOE, William C. Sign Language Structure: An Outline of the Visual Communication Systems of the American Deaf, Studies in linguistics: Occasional papers (No. 8). Buffalo: Dept. of Anthropology and Linguistics, University of Buffalo. 1960.

STROBEL, Karin Lilian; FERNANDES, Sueli. Aspectos linguísticos da língua brasileira de sinais. Secretária de Educação. Superintendência de Educação. Departamento de Educação Especial, Curitiba: SEED/SUED/DEE, 1998.

SUTTON, Valerie. Lesssons in Signwriting: textbook & workbook. 3rd Ed. La Jolla, CA: Center for Sutton Movement Writing, Inc. 2003. Disponível em: <http://www.signwriting.org/archive/>. Acesso em: 01 maio 2018.

XAVIER, André Nogueira. Descrição fonético-fonológica dos sinais da língua brasileira de sinais (LIBRAS). Dissertação (Mestrado em ) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

Publicado
01-11-2019
Como Citar
Silva, V. S. da, Teles, M. M., & da Silva Costa, E. (2019). Um estudo dos sinais bimanuais da língua brasileira de sinais na sublocação “costas da mão”. Revista Sinalizar, 4. https://doi.org/10.5216/rs.v4.56702
Seção
Artigos