Conjuntos habitacionais populares:

relações entre vizinhanças e espaços livres públicos

Palavras-chave: Espaços livre públicos. apropriação. conjuntos habitacionais. vizinhança. comunidade. pertencimento.

Resumo

As relações entre comunidade e espaços públicos em conjuntos habitacionais compreendem a possibilidade do despertar de comportamentos proativos (manifestando apropriação nos espaços e desenvolvendo sentimento de pertencimento) ou de rejeição (através de ações de vandalismo e depreciação espacial). Nesse sentido, esse estudo interdisciplinar entre a Arquitetura e a Psicologia apresenta ferramentas de mapeamento do comportamento humano bem como o levantamento de particularidades espaciais envolvidas na constituição de cada ambiente nos conjuntos habitacionais. Os objetos de estudo são duas praças em cada conjunto, Jardim Esperança e Augusto Franco, ambos localizados na região Sul da cidade de Aracaju, Sergipe. O estudo revelou que esses espaços livres públicos, previstos em lei, necessitam reunir um conjunto de qualidades ambientais para que os espaços possam ser reconhecidos e apropriados pela comunidade. Devido à variabilidade das esferas envolvidas nesse estudo, entende-se que essas qualidades podem se diferenciar a partir de contextos heterogêneos dos apresentados aqui.

Publicado
24-06-2020
Como Citar
Teixeira, C. F. barbosa, & Pereira Santos, I. (2020). Conjuntos habitacionais populares:: relações entre vizinhanças e espaços livres públicos. Revista Jatobá, 2. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/revjat/article/view/63436
Edição
Seção
Artigos