A IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA EUROPEU NA ÁFRICA: um novo quadro para pensar as políticas de educação e de formação

Autores

  • ouro-salim omar

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v18i22.51225

Resumo

O sistema LMD significa Licenciatura-Mestrado-Doutorado. Ele visa harmonizar o design do ensino com países africanos, a fim de, por um lado, facilitar a mobilidade de estudantes e professores e, por outro, desenvolver a cooperação interuniversitária. Esse sistema foi implantado na Universidade de Lomé em 2009. A Universidade de Lomé é a maior universidade do Togo, um país localizado na África Ocidental. O objetivo deste trabalho é analisar a implementação do sistema LMD na Universidade de Lomé e em seguida apresentar algumas críticas feitas ao sistema LMD em geral. Este estudo se justifica pelo fato de a Universidade de Lomé não estar preparada para enfrentar esse novo sistema. A substituição de um quadro de referência nacional por um internacional conduz a uma mudança do modo de formação das elites. Ametodologiaempregadafoiarevisão bibliográficaseletivaedescritiva através dabasededadosdoGoogleAcadêmico e SCIELO entre os anos 2000 e 2015, em trabalhos cujas palavras-chave contivessem em francês “Système LMD” e artigos relacionados ao ensino superior no Brasil. Assim, foi selecionado um total de 10 artigos que aqui serão discutidos. Como resultado, percebe-se que o sistema LMD na Universidade de Lomé constitui uma vantagem para o ensino superior, mas por razões logísticas, financeiras e humanas o sistema encontra dificuldade para se desenvolver como na Europa. O lado positivo desse sistema nos países africanos é que permite às elites alcançar os mesmos padrões internacionais que as universidades estrangeiras, mas isso requer investimentos dos governos africanos para evitar o caos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACTU-DROIT. Une étude sur le système LMD. Disponível em:<http://www.actudroit.ml/2017/03/une-etude-sur-le-systeme-lmd_17.html.>. Acesso em 27/11/2017.

BEUGELSDIJK, S.; CORNET, M. ‘A Far Friend is Worth More than a Good Neigh-bour’: Proximity and Innovation in a Small Country. Journal of Management and Govern-ance, v. 6, n. 2, p. 169-188, 2002.

BOLTANSKI, L. Une sociologie sans société? Le genre humain, Paris: Hiver-Printemps, 1999, p. 303-311.

CERTEAU, M. L’invention du quotidien: Les arts de faire. Paris: Gallimard, 1993.

CUNHA, L. A. Qual universidade? São Paulo: Cortez, 1989.

DARRAS. Le partage des benefices. Paris: Éditions de Minuit, 1969.

DEROUET, J. L. Entre la récupération des savoirs critiques et la construction des standards du management libéral. Revue française de pédagogie. Paris: E.N.S. Éditions, v.154, p.5-18, 2006.

_____. (Dir.). Le collège unique en questions. Paris: PUF, 2002.

DEROUET-BESSON, M. C. La ruse des petits, la sainteté des grands et la critique sociale. Éducation et Sociétés. Revue internationale de sociologie de l’éducation. Paris: E.N.S. Édi-tions, v.16, p. 227-237. 2005.

DUBET, F.; DURU-BELLAT, M. L’hypocrisie scolaire. Pour un collège enfin démocrati-que. Paris: Seuil, 2000.

HÉLOU, C. Ordre et Résistance au college, Thèse de Doctorat nouveau régime, sous la di-rection de Luc Boltanski, Paris: EHESS, 1994.

HIRSCHMAN, A. O. Exit, Voice and Loyalty: Responses to Decline in Firms, Organiza-tions, and States. Cam¬bridge, MA: Harvard University Press, 1972.

ICILOME. Bientôt le premier bilan du système LMD. Disponível em < http://news.icilome.com/?idnews=829334&t=universite-de-lome--bientot-le-premier-bilan-du-systeme-lmd> Acesso em 04/09/2017.

INSUA. Amélioration de la qualité d’apprentissage dans les écoles rurales africaines. In: Edu-cation de base. Banque mondiale. Lusaka: UNESCO, 1998.

MENDONÇA, Erasto Fortes. A regra e o jogo: democracia e patrimonialismo na educação brasileira. Campinas: Ed. FE/UNICAMP, 2000.

LAVAL, C.; WEBER, L. (coord.). Le nouvel ordre éducatif mondial. Paris: Éd. Syllepses, 2003.

PAPESAC. Le système LMD et les enjeux de la professionalisation. Disponível em < http://www.papesac.org/docs/LMD_Professionnalisation.pdf>. Acesso em 04/09/2017.

RAYOU, P. La Cité des lycéens. Paris: L’Harmattan, 2000.

REESAO. Guide de formation du LMD: à l’usage des institutions supérieures d’Afrique francophone. Accra: Aviation Road Extension. 2008. 108 p.

ROCARE. Rapport Annuel 2009. Disponível em:<http://www.ernwaca.org/web/IMG/Rapport_Annuel_ROCARE_2009.pdf> Acesso em 04/09/2017.

TEIXEIRA, F. J. Gerenciando o conhecimento: como a empresa pode usar a memória orga-nizacional e a inteligência competitiva no desenvolvimento dos negócios. Rio de Janeiro: Ed. SENAC, 2000.

UEMOA. Pour une nouvelle vision de l’enseignement supérieur. Intégration, 2005.

UNIVERSITÉ DE LOMÉ. Portail Académique. Disponível em: <http://www.univ-lome.tg/ >. Acesso em 10/09/2017.

Downloads

Publicado

2018-08-13

Como Citar

OMAR, ouro- salim. A IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA EUROPEU NA ÁFRICA: um novo quadro para pensar as políticas de educação e de formação. Revista UFG, Goiânia, v. 18, n. 22, 2018. DOI: 10.5216/revufg.v18i22.51225. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/51225. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos