O SOM AO REDOR (2012): ECOGRAFIAS JURÍDICAS DO AUTORITARISMO BRASILEIRO

Autores

  • Pedro Henrique Correa Guimaraes Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, pedro_correa@discente.ufg.br
  • Maria Cristina Vidotte Blanco Tárrega Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, mcvidotte@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rfd.v45i2.68891

Palavras-chave:

O Som ao Redor – silenciamento - subjetividades

Resumo

O Som ao redor (2012) é um filme brasileiro produzido e roteirizado por Kléber Mendonça Filho.  O filme aborda de a transformação do imaginário da violência no Brasil do Século XX e o transbordamento de uma máquina tecnojurídica de produzir silenciamentos, em que a normatividade funde-se ao caos. O trabalho tem perspectiva metodológica da análise do discurso, numa vertente materialista.. Os objetivos consistem em interrogar as estruturas de sentido e os seus desvios e para alcançar a historicidade constitutiva das milícias e de violências contemporâneas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, MANUEL CORREA, Espaço e tempo na agroindústria canavieira de Pernambuco ESTUDOS AVANÇADOS 15 (43), 2001, PP.267 A 280 https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-0142001000300020 Acesso em 10/01/2021.

BRAUDEL, F. La Méditerranée et le monde méditerranéen à l’époque de Philippe II. Paris: Armand Colin: 1949.

CESAR FILHO, Francisco. Festival de Cinema Latino-Americano de SP celebra 15 anos com evento on-line e gratuito. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=k-IojEJQDTw. Acesso em 10/01/2021.

CORNELIUS, Ketin. Mílícia Privada e Grupos de Extermínio: Riscos à Segurança Pública. 2015. Disponível em: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/1353/1/2016KetinCornelius.pdf. Acesso em: 09 janeiro de 2021.

DARDOT. P. LAVAL. C. A nova razão do mundo – Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2019.

DERRIDA. J. Margens da filosofia. Campinas: Papirus, 1991

DELEUZE, G. Conversações, 1ª Edição, 3ª Reimpressão. Trad. Peter Pal Perbart. Editora 34, Rio de Janeiro, 2000

GUATTARI, F. Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: Editora 34, 1992.

HADOT, Pierre. O que é filosofia antiga?. São Paulo: Edições Loyola, 1999

HAN, B-C. A sociedade do cansaço. São Paulo: Vozes, 2015.

HAN, B.C. A filosofia do zen budismo. São Paulo: Vozes, 2017.

MANSO, Bruno Paes. A Repúlica das Milícias. Dos esquadrões da morte à era Bolsonaro. São Paulo: Todavia, 2019.

MASSON, Ç MARÇAL. V. Organizações Criminosas. Rio de Janeiro:Forense, 2016

MENDONÇA FILHO, Kleber. O som ao redor. O país do cinema. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=ijAl3WcNwQI. Acesso em 10/01/2021.

ORLANDI, Eni P. Interpretação. Autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Campinas, Pontes, 2007

SEGATO. Rita. La guerra contra las mujeres. Buenos Aires, Prometeo Libros, 2018.

SEGATO, Rita. Inventando a natureza: família, sexo e gênero no Xangô do Recife. Anuário Antropológico, 10(1), 11-54.2018. Disponível em https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6352/7677. Acesso: 13.01.2021.

SLOTERDIJK, P. Esferas III. Madrid: Siruela, 2009

SLOTERDIJK, P. Crítica da Razão Cínica. São Paulo: Estação Liberdade, 2012.

SOARES, L. E. Desmilitarizar: segurança pública e direitos humanos. São Paulo: Boitempo, 2019

Downloads

Publicado

2022-01-01

Como Citar

CORREA GUIMARAES, P. H.; TÁRREGA, M. C. V. B. O SOM AO REDOR (2012): ECOGRAFIAS JURÍDICAS DO AUTORITARISMO BRASILEIRO: . Revista da Faculdade de Direito da UFG, Goiânia, v. 45, n. 2, 2022. DOI: 10.5216/rfd.v45i2.68891. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/revfd/article/view/68891. Acesso em: 30 jun. 2022.