Da exclusão do campo à inclusão na prisão: a gestão penal da pobreza agrária no Brasil

  • Bartira Macedo de Miranda Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Direito, Goiânia, Goiás, Brasil, bartirarfd@gmail.com
  • Nayana Guimarães Souza de Oliveira Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, Palmas, Tocantins, Brasil, bartirarfd@gmail.com
Palavras-chave: Direito agrário, Questão agrária, Criminologia crítica, Migrações rural-urbanas, Questão criminal

Resumo

Este artigo apresenta um estudo acerca da gestão penal da pobreza agrária no Brasil, desde a transformação urbana e industrial até a contemporaneidade. Busca-se desvendar os impactos socialmente excludentes e penalmente includentes do rápido processo de urbanização e industrialização ocorridos no Brasil. A hipótese é de que o esvaziamento do campo, pari passu com a expansão das cidades, foi uma das causas do desemprego estrutural e da formação das periferias urbanas, onde está segregada a grande maioria marginalizada da população. Para percorrer este caminho, estuda-se gênese da periferia, construindo uma ponte entre a exclusão do campo e a segregação urbana. Analisa-se como o Estado – no qual se depositam esperanças de realização dos direitos socialmente garantidos – tornou-se cada vez mais um Estado mínimo, com mínimas obrigações. Em sequência, aborda-se o tema da gestão penal da pobreza no Brasil por meio da dilatação da repressão direcionada aos indivíduos pobres, com aumento estratosférico nos gastos públicos direcionados à ampliação de um corpo policialesco. Assim, verifica-se um entrelaçamento entre questão agrária, questão criminal e violência urbana, que perpassa pela transferência da pobreza agrária para as cidades, pela formação das periferias urbanas e pela segregação do pobre neste local, onde ele receberá muito pouco do Estado de Direito e perceberá a presença cotidiana do Estado Penal.

Abstract

This article presents a study about the criminal management of agrarian poverty in Brazil, from urban and industrial transformation to contemporaneity. It seeks to unravel the socially exclusive and criminally inclusive impacts of the rapid urbanization and industrialization process in Brazil. The hypothesis is that the emptying of the countryside, pari passu with the expansion of cities, was one of the causes of structural unemployment and the formation of urban peripheries, where the marginalized majority of the population is segregated. To follow this path, we study the genesis of the periphery, building a bridge between the exclusion of the countryside and urban segregation. It is analyzed how the State - in which hopes of realizing socially guaranteed rights are placed - has become increasingly a minimal State, with minimum obligations. In the sequence, the subject of the criminal management of poverty in Brazil is approached by means of the expansion of the repression directed to the poor individuals, with a stratospheric increase in the public expenses directed to the expansion of a police force. Thus, there is an interweaving between agrarian question, criminal issue and urban violence, which involves the transfer of agrarian poverty to the cities, the formation of urban peripheries and the segregation of the poor in this place, where he will receive very little of the rule of law and will perceive the daily presence of the Criminal State.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bartira Macedo de Miranda, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Direito, Goiânia, Goiás, Brasil, bartirarfd@gmail.com
Nayana Guimarães Souza de Oliveira, Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, Palmas, Tocantins, Brasil, bartirarfd@gmail.com

Referências

ALVAREZ, Marcos César; SALLA, Fernando; SOUZA, Luís Antônio F. A sociedade e a Lei: o Código Penal de 1890 e as novas tendências penais na Primeira República. Justiça e História: Porto Alegre, v. 3, n. 6, 2003. Disponível em:<http://bdjur.stj.jus.br/jspui/bitstream/2011/66122>. Acesso em: 6 fev. 2017.

BRASIL. Mapa do Encarceramento: os Jovens do Brasil. 2015. Disponível em: < http://juventude.gov.br/articles/0009/3230/mapa-encarceramento-jovens.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2017.

BUAINAIN, Antônio Márcio (Org.). Luta pela terra, reforma agrária e gestão de conflitos no Brasil. Campinas: Editora UNICAMP, 2008.

CARDOSO, Franciele Silva. A luta e a lida: estudo do controle social do MST nos acampamentos e assentamentos de Reforma Agrária. 2012. (Tese de Doutorado em Direito). Universidade de São Paulo, 2012.

CUNHA, Marina Silva da. Desigualdade e pobreza nos domicílios rurais e urbanos no Brasil, 1981-2005. Revista econômica do Nordeste, vol. 40, n. 1., jan-mar. 2009. Disponível em: < https://www.bnb.gov.br/projwebren/Exec/artigoRenPDF.aspx?cd_artigo_ren=1113>. Acesso em: 04 ago. 2017.

DADALTO, Maria Cristina; RODRIGUES, Márcia Barros Ferreira. Migração e violência: criminalização e violência criminalizada. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica. Rio de Janeiro: vol. 7, nº 2, maio-agosto, 2015.

DELGADO, Guilherme Costa. Do capital financeiro na agricultura à economia do agronegócio: mudanças cíclicas em meio século (1965-2012). Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

DEL OLMO, Rosa. A América Latina e sua Criminologia. Rio de Janeiro: Editora Revan, 2004.

FILGUEIRAS, Luiz. O neoliberalismo no Brasil: estrutura, dinâmica e ajuste do modelo econômico. En publicación: Neoliberalismo y sectores dominantes. Tendencias globales y experiencias nacionales. Basualdo, Eduardo M.; Arceo, Enrique. CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales: Buenos Aires, 2006. Disponível em: <http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/grupos/basua/C05Filgueiras.pdf>. Acesso em: 6 abr. 2017.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

FURTADO, Celso. O Brasil do Século XX. In: IBGE. Estatísticas do Século XX. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2006.

HAAS, Jaqueline Mallmann; HILLIG, Clayon Hillig. A abordagem da pobreza rural no contexto das novas ruralidades. 48º Congresso SOBER. Disponível em <http://www.sober.org.br/palestra/15/94.pdf>. Acesso em: 04 ago. 2017.

LINHARES, Maria Yedda & SILVA, Francisco Carlos Teixeira. Terra prometida: uma história da questão agrária no Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

MEDEIROS, Leonilde Servolo. Movimentos sociais no campo, lutas por direitos e reforma agrária na segunda metade do século XX. In.: CARTER, Miguel (Org.). Combatendo a desigualdade social: o MST e a reforma agrária no Brasil. São Paulo: Editora UNESP, 2010, p. 113-136.

MOREIRA, Vânia Maria Losada. Os anos JK: industrialização e modelo oligárquico de desenvolvimento. In: FERREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves (Orgs.). O Brasil Republicano: O tempo da experiência democrática – da democratização de 1945 ao golpe civil-militar de 1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

REIS, Carlos Nelson dos; PINHEIRO, Lessi; RIBEIRO, Letícia; OLIVEIRA, Mara. Ajuste Fiscal e Gastos Sociais no Brasil: a estabilidade em detrimento da equidade a partir das influências do FMI e Banco Mundial. Observatório Iberoamericano Del dessarrollo local y La economia social. Málaga: 2007, p. 352-381. Disponível em <http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/7945>. Acesso em: 6 abr. 2017.

SANTOS, Bartira Macedo de Miranda. Defesa Social e Segurança Pública: desafios para a implantação de políticas públicas de segurança no Brasil. 2015. (Relatório de Pesquisa de Pós-Doutorado). Pontifícia Universidade de Goiás, Goiânia, 2015.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Notas sobre a História Jurídico- Social de Pasárgada. In: SOUTO, Cláudio; FALCÃO, Joaquim (Org.). Sociologia e direito: textos básicos de sociologia jurídica. 1ª ed. São Paulo: Pioneira, 1980, p. 109-117. Disponível em < http://www.geocities.ws/b3centaurus/livros/s/boavpassar.pdf>. Acesso em 09 ago. 2017.

SANTOS, José Vicente Tavares dos. Violências e Dilemas do Controle Social nas sociedades da modernidade tardia. São Paulo em Perspectiva, 18 (1): pág. 3-12, 2004. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/spp/v18n1/22221.pdf>. Consultado em: 20 ago. 2017.

SANTOS, Juarez Cirino dos. A criminologia da repressão: uma crítica ao positivismo em criminologia. Rio de Janeiro: Forense, 1979.

______. As raízes do crime: um estudo sobre as estruturas e as instituições da violência. Rio de Janeiro: Forense, 1984.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo, Editora Hucitec, 1993.

SILVA, Uvanderson Vítor da. Velhos caminhos, novos destinos: Migrante nordestino na Região Metropolitana de São Paulo. 2008. (Dissertação de Mestrado em Sociologia). Universidade de São Paulo, 2008.

WACQUANT, Loïc. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Rio de Janeiro: F. Bastos, 2001, Revan, 2003.

______. A segurança criminal como espetáculo para ocultar a insegurança social: entrevista com Loïc Wacquant. Fractal, Revista de Psicologia, vol. 20, nº 1, Rio de Janeiro, 2008. Entrevista concedida a Fernandas Bocco, Maria Lívia Nascimento e Cecília Coimbra. Disponível em < http://bases.bireme.br/>. Consultado em: 09 ago. 2017.

______. Os condenados da cidade: estudo sobre marginalidade avançada. Rio de Janeiro: Revan, 2001.

Publicado
19-01-2019
Como Citar
Macedo de Miranda, B., & Guimarães Souza de Oliveira, N. (2019). Da exclusão do campo à inclusão na prisão: a gestão penal da pobreza agrária no Brasil. Revista Da Faculdade De Direito Da UFG, 42(3), 65-84. https://doi.org/10.5216/rfd.v42i3.56536
Seção
Artigos Científicos