Impactos de depreciações cambiais no hiato do produto brasileiro

Autores

  • Maurício Benedeti Rosa Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, São Paulo, mbr_15@hotmail.com https://orcid.org/0000-0003-0783-2195
  • Diego Sarti de Souza Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, São Paulo, diego.sarti@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-5216-3168
  • Maria Aparecida Silva Oliveira Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, São Paulo, aparecidaoliveira@ufscar.br https://orcid.org/0000-0001-7729-4068

DOI:

https://doi.org/10.5216/reoeste.v6i2.66420

Palavras-chave:

Taxa de câmbio, crescimento, modelo de vetor autoregressivo

Resumo

Este trabalho analisou os efeitos de depreciações cambiais, além das políticas fiscal e monetária, sobre o hiato de produto brasileiro através do modelo de Vetor Autorregressivo (VAR). Os resultados obtidos, expressos em elasticidades, mostraram que depreciações cambiais de 10% elevam o hiato do produto em 0,5%, enquanto choques fiscais expansionistas de 1% aumentam o mesmo em 2,3%, e choques monetários contracionistas de 10% tem efeito acumulado negativo de 3,9%. Por fim, a decomposição da variância indicou como principais determinantes do hiato do produto a relação dívida/PIB, além dele próprio, os quais somados atingem mais de 90% em 12 períodos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÉNOR, P.-R. Output, devaluation and the real exchange rate in developing countries. Weltwirtschaftliches Archiv, v. 127, n. 1, p. 18–41, 1991.

AN, L.; KIM, G.; REN, X. Is devaluation expansionary or contractionary: Evidence based on vector autoregression with sign restrictions. Journal of Asian Economics, v. 34, p. 27-41, 2014.

ARAÚJO, E.; GALA, P. Regimes de crescimento econômico no Brasil: evidências empíricas e implicações de política. Estudos Avançados, v. 26, n. 75, p. 41–56, 2012.

BAHMANI-OSKOOEE, M.; MITEZA, I. Are devaluations expansionary or contractionary? A survey article. Economic Issues Journal Articles, v. 8, n. 2, p. 1-28, 2003.

BHADURI, A.; MARGLIN, S. Unemployment and the real wage: the economic basis for contesting political ideologies. Cambridge Journal of Economic, v. 14, p. 375–393, 1990.

BUENO, R. D. L. S. Econometria de séries temporais. Cengage Learning: São Paulo, 2008.

CARVALHO, D. B.; EDUARDO, M.; SILVA, E. M. Efeitos dos Choques Fiscais sobre o Mercado de Trabalho Brasileiro. Revista Brasileira de Economia, v. 67, n. 2, p. 177–200, 2013.

CAVALCANTI, M. A. F. H.; SILVA, N. L. C. Dívida pública, política fiscal e nível de atividade: uma abordagem VAR para o Brasil no período 1995-2008. Economia Aplicada, v. 14, n. 4, p. 391-418, 2010.

COOPER, R.N. Currency Devaluation in Developing Countries. Essays in International Finance. Princeton University, n. 86,1971.

DA SILVA, G. J. C.; CORREIA, F. M.; SANTOLIN, R. S. Fluxo de capitais e crescimento econômico de longo prazo: teoria, modelo e evidências recentes para as economias emergentes. Revista de Economia do Centro-Oeste, v. 1, n. 1, p. 2-25, 2015.

DE PAULA, L. F. R.; ALVES JR., A. J. External Financial Fragility and the 1998-99 Brazilian Currency Crisis. Journal of Post Keynesian Economics, v. 22, n. 4, p. 589–618, 2000.

DÍAZ-ALEJANDRO, C. F. A Note on the Impact of Devaluation and the Redistributive Effect. The Journal of Political Economy, p. 577–580, 1963.

DO NASCIMENTO, B. R. V. et al. Relação do emprego, da renda e das variáveis político-monetárias com as decisões de modalidades de crédito. Revista de Economia do Centro-Oeste, v. 3, n. 2, p. 38-54, 2017.

DORNBUSCH, R. et al. Currency Crises and Collapses. Brookings Papers on Economic Activity, v. 1995, n. 2, p. 219, 1995.

EDWARDS, S. Are Devaluations Contractionary? The Review of Economics and Statistics, v. 68, n. 3, p. 501–508, 1986.

FRANKEL, J. A.; ROSE, A. K. Currency crashes in emerging markets: An empirical treatment. Journal of International Economics, v. 41, p. 351–366, 1996.

GALA, P.; LIBÂNIO, G. A. Efeitos da apreciação cambial nos salários, lucros, consumo, investimento, poupança e produtividade: uma perspectiva de curto e longo prazo. In: XXXVI Encontro Nacional de Economia, 2008.

HSING, Y. Application of the IS-MP-IA model to the German economy and policy implications. Economics Bulletin, v. 15, n. 5, p. 1–10, 2005.

KAMIN, S. B.; ROGERS, J. H. Output and the real exchange rate in developing countries: An application to Mexico. Journal of Development Economics, v. 61, n. 1, p. 85–109, 2000.

KRUGMAN, P.; TAYLOR, L. Contractionary effects of devaluation. Journal of International Economics, v. 8, n. 3, p. 445–456, 1978.

LIZONDO, J. S.; MONTIEL, P. J. Contractionary devaluation in developing countries: an analytical overview. Staff Papers, v. 36, n. 1, p. 182–227, 1989.

MISSIO, F; OREIRO, J. L.; JAYME JR. F. G. Câmbio, crescimento e heterogeneidade produtiva num modelo keynesiano-estruturalista. Texto para Discussão 413, UFMG/Cedeplar, 2010.

MISSIO, F. J.; SCHETTINI, B.; JAYME JR. F. G. Câmbio e crescimento: teoria e implicações de política econômica, In: Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira, Porto Alegre: AKB, 2009.

NASSIF, A.; FEIJÓ, C.; ARAÚJO, E. Overvaluation trend of the Brazilian currency in the 2000s: empirical estimation. Revista de Economia Política, v. 35, n. 1, p. 3–27, 2015.

PEREIRA, J. R. de L. M.; DA SILVA CHICOLI, R. Como Alterações na Taxa de Câmbio Afetam o Retorno do Índice Ibovespa. Finanças Públicas: o Difícil Caminho das Metas Fiscais, p. 44, 2016.

PEREIRA, H. C. I. et al. Uma perspectiva crítica do novo regime fiscal para a dinâmica de curto e longo prazo da economia brasileira. Revista de Economia Do Centro-Oeste, v. 3, n. 1, p. 51-69, 2017.

Downloads

Publicado

04-04-2021

Como Citar

Benedeti Rosa, M., Sarti de Souza, D., & Silva Oliveira, M. A. (2021). Impactos de depreciações cambiais no hiato do produto brasileiro. Revista De Economia Do Centro-Oeste, 6(2), 59–80. https://doi.org/10.5216/reoeste.v6i2.66420

Edição

Seção

Artigos