O Estado, os conflitos das classes dominantes e a influência do capital estrangeiro na defesa do café no Brasil na Primeira República (1889-1930)

Palavras-chave: Defesa do café, Capital estrangeiro, Primeira República

Resumo

O foco principal do trabalho é ponderar as medidas adotadas pelo Governo Federal no período da Primeira República, que auxiliaram no progresso da economia agroexportadora brasileira, pautada pela exportação de café. Avalia-se os mecanismos e política para a defesa do café e discute-se em que sentido eles estiveram atrelados – ou não – aos interesses dos cafeicultores e se esses exerciam poder, influência e hegemonia sobre o Estado. A ideia aqui discutira é que o processo de intervenção do Estado na economia foi engendrado por mediações estabelecidas entre o setor público e os diversos grupos que viviam num contexto de luta ideológica e política no interior das classes dominantes. Ao analisar contribuições diversas – e por vezes conflitantes – esse artigo acrescenta, ainda, o papel e influência que exerceu o capital financeiro internacional sobre as ações e políticas estatais. Assim, relativiza-se o debate de influência sobre o Estado, deslocando o eixo de análise não apenas para grupos de interesses nacionais, mas também aqueles localizados em países centrais, financiadores, em última instância, das políticas de valorização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Lyra Bertolani, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestre em Economia pela Universidade Federal do Espírito Santo

Referências

DELFIM NETTO, Antônio. O problema do café no Brasil. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. 15. ed. São Paulo: Globo, 2000.

FAUSTO, Boris. Expansão do café e política cafeeira. In: ______. (Dir.).História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III - O Brasil republicano. v.8. Estrutura de poder e economia (1889-1930). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

¬¬¬¬_______. História do Brasil. 2. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo – Fundação do Desenvolvimento da Educação, 1995.

_______. Pequenos Ensaios de História da República (1889-1945). In: Cadernos CEBRAP, São Paulo, n. 10, 1973.

FRITSCH, Winston. Aspectos da Política Econômica no Brasil, 1906 - 1914. In: NEUHAUS, Paulo (Org.). Economia Brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

_______. Sobre as interpretações tradicionais da lógica da política econômica na Primeira República. In: Revista Estudos Econômicos. v.15. São Paulo: USP/IPE, n.2. 1985.

_______. Apogeu e crise da Primeira República: 1900-1930. In: ABREU, Marcelo Paiva (Org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana: 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

FURTADO, Celso Monteiro. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1987.

GREMAUD, Amaury Patrick. Das Controvérsias Teóricas à Política Econômica: Pensamento Econômico e Economia Brasileira no Segundo Império e na Primeira República (1840 - 1930). 1997. Tese (Doutorado em Economia). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

HOLLOWAY, Thomas H. Vida e morte do Convênio de Taubaté: a primeira valorização do café. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

LOVE, Joseph. A locomotiva: São Paula na federação brasileira 1889-1937. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

OLIVEIRA, Elizabete Rodrigues. A intervenção do Estado na economia cafeeira na Primeira República: as relações entre o setor público e o privado. 1995. Dissertação (Mestrado em Administração Pública). Fundação Getúlio Vargas – Escola de Administração de Empresas de São Paulo.

OLIVEIRA, Francisco de. A emergência do modo de produção de mercadorias: uma interpretação teórica da economia da República Velha. In: FAUSTO, Boris (Dir.). História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III - O Brasil republicano. v.8. Estrutura de poder e economia (1889-1930). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

PELÁEZ, Carlos Manuel (1971) As Conseqüências Econômicas da Ortodoxia Monetária, Cambial e Fiscal no Brasil entre 1889-1945. In: Revista Brasileira de Economia, n.º 25 (3), julho/setembro.

PERISSINOTTO, Renato M. Estado e Capital Cafeeiro em São Paulo, 1889-1930. Tomo I. São Paulo: FAPESP; Campinas, SP: UNICAMP, 1999.

________. Classes dominantes e hegemonia na República Velha. Campinas: Editora Unicamp, 1994.

________. Classe dominante e política econômica na economia cafeeira (1906-1930). In: Revista Perspectivas, São Paulo, 16: 165-189, 1993.

PRADO JÚNIOR, Caio. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1998.

REIS, Elisa Pereira. Interesses agro-exportadores e construção do Estado: Brasil de 1890 a 1930. In: CARDOSO, Fernando Henrique; FONT, Maurício Augusto; SORJ, Bernardo. Economia e Movimentos Sociais na América Latina. São Paulo: Brasiliense, 1985.

SILVA, Sergio. Expansão cafeeira e origens da indústria no Brasil. 7.ed. São Paulo: Editora Alfa-Omega, 1986.

SINGER, Paul. O Brasil no contexto do capitalismo internacional. In: FAUSTO, Boris (Dir.). História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III - O Brasil republicano. v.8. Estrutura de poder e economia (1889-1930). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

SOUZA, Angelita Matos. Estado e dependência no Brasil (1889-1930). São Paulo: Annablume: 2001.

TOPIK, Steven. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. São Paulo: Record, 1987.

VILLELA, Anníbal; SUZIGAN, Wilson. Política do governo e crescimento da economia brasileira, 1889-1945. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1975.

Publicado
18-12-2019
Como Citar
Felipe, E. S., & Bertolani, M. L. (2019). O Estado, os conflitos das classes dominantes e a influência do capital estrangeiro na defesa do café no Brasil na Primeira República (1889-1930). Revista De Economia Do Centro-Oeste, 5(2), 2-23. https://doi.org/10.5216/reoeste.v5i2.61643
Seção
Artigos