MODELOS DE PREVISÃO DO TEOR DE UMIDADE ÓTIMO E DO PESO ESPECÍFICO SECO MÁXIMO PARA SOLOS FINOS

Models for estimating the optimum moisture and maximum dry density for fine soils

  • Breno Padovezi Rocha Doutorando em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da Universidade de São Paulo (USP), campus São Carlos/SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-6534-0482
  • Roberto Aguiar dos Santos Doutorando em Engenharia Civil e Ambiental Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professor do Instituto de Engenharia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Várzea Grande/MT – Brasil. http://orcid.org/0000-0003-1014-1854
  • Iraydes Tálita de Sena Nola Doutoranda em Geotecnia pela Universidade Federal de Outro Preto, campus Outro Preto/MG - Brasil http://orcid.org/0000-0002-5673-5909
  • Flavio Alessandro Crispim Professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), campus Sinop/MT - Brasil http://orcid.org/0000-0002-4604-9876
  • André Luis Christoforo Professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus São Carlos/SP - Brasil http://orcid.org/0000-0002-4066-080X

Resumo

RESUMO: O dimensionamento de taludes, pavimentos rodoviários, liners, túneis, aterros entre outras aplicações civis, requer o conhecimento do comportamento dos solos através das suas propriedades físicas. Os solos podem apresentar comportamento distinto devido à variabilidade do maciço e ao processo de amostragem. O teor de umidade ótimo (wot) e o peso específico seco máximo (gdmax) são propriedades físicas fundamentais na análise do comportamento de um solo compactado e, podem ser influenciadas pela fração de pedregulho, fração de areia, fração de finos e pelos limites de liquidez e de plasticidade do solo. Para a viabilidade de projetos básicos pode ser necessário recorrer a formulações empíricas através das quais os limites de confiabilidade sejam conhecidos. Este trabalho objetivou investigar, com o auxílio da análise de variância de modelos de regressão, a precisão da estimativa do teor de umidade ótimo e do peso específico seco por meio dos ensaios corriqueiros de caracterização do solo. Assim, foram selecionados dados de 250 amostras de solos argilosos de diferentes regiões do planeta. Os resultados dos modelos de regressão multilinear dos solos argilosos investigados foram considerados expressivos pela ANOVA, apresentando valores do coeficiente de determinação ajustado para wot e gdmax iguais a 0,741 e 0,639, respectivamente. Com relação às propriedades físicas, apenas o limite de liquidez não foi significativo na estimativa do gdmax. As correlações empíricas apresentadas possibilitam a estimativa do teor de umidade ótimo e do peso específico seco máximo de maneira rápida e eficiente para a análise do comportamento dos solos compactados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Padovezi Rocha, Doutorando em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da Universidade de São Paulo (USP), campus São Carlos/SP - Brasil.
Possui Graduação em Engenharia Civil pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus Ilha Solteira, (2011). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Geotecnia, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (2013), onde atualmente está cursando Doutorado. Áreas de interesse: Investigação do Subsolo, Ensaios Sísmicos, Comportamento de Fundações, Solos Tropicais, Colapso de Solos, Mecânica dos Solos. Atualmente faz parte do Grupo de Pesquisa de Geotecnia e Saneamento Ambiental da UNESP de Bauru.
Roberto Aguiar dos Santos, Doutorando em Engenharia Civil e Ambiental Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professor do Instituto de Engenharia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Várzea Grande/MT – Brasil.
Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade do Estado de Mato Grosso, UNEMAT (2013) e mestrado em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (2015). Atualmente é Professor Assistente da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Doutorando em Engenharia Civil e Ambiental da Universidade Estadual Paulista. Tem experiência em Engenharia Civil, com ênfase em Geotecnia (UNESP), atuando principalmente em: ensaios triaxiais, solos tropicais e investigação do subsolo. É sócio da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS) e da Assocociação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental (ABGE). Atualmente faz parte do Grupo de Pesquisa de Mecânica dos Solos da EESC/USP.
Iraydes Tálita de Sena Nola, Doutoranda em Geotecnia pela Universidade Federal de Outro Preto, campus Outro Preto/MG - Brasil
Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestrado em geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos/USP. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geotecnia, Geologia de Engenharia e Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: mapeamento geotécnico, avaliação geológico-geotécnica, riscos geológicos e geotécnicos, avaliação de movimentos de massa gravitacionais e geoambiental.
Flavio Alessandro Crispim, Professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), campus Sinop/MT - Brasil
Doutor em Engenharia Civil (Geotecnia) pela Universidade Federal de Viçosa - UFV (2010), mestre em Engenharia Civil (Geotecnia) pela UFV (2007) e graduado em Engenharia Civil pela UFV (2004). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat - Campus de Sinop). Tem experiência na área de Engenharia Civil com ênfase em: estabilização de solos para fins rodoviários, compactação de solos, aterros, drenagem e ensaios de laboratório.
André Luis Christoforo, Professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus São Carlos/SP - Brasil
Possui Graduação em Engenharia Civil pela Universidade de Franca (UNIFRAN), Especialização em Matemática Universitária pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus Rio Claro, Mestrado em Engenharia de Estruturas pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP), Doutorado em Engenharia de Estruturas pela EESC/USP, Pós-Doutorado em Engenharia de Estruturas pela EESC/USP, Pós-Doutorado pela Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos FZEA/USP e Pós-doutorados pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), campus Ilha Solteira. Membro da Comissão de Estudo de Estruturas de Madeiras (ABNT/CE-02:126.10) do Comitê Brasileiro da Construção Civil (ABNT/CB-02): Ensaio de caracterização de peças estruturais de madeira e Membro do comitê editorial da Revista da Madeira (REMADE). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Engenharia Civil (DECiv) e do Programa de Pós Graduação em Estruturas e Construção Civil (PPGECiv) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e membro da diretoria do Instituto Brasileiro da Madeira e das Estruturas de Madeira (IBRAMEM). Atua nas áreas de Mecânica dos Materiais, Estruturas, Madeira e Derivados da Madeira, Materiais Compósitos, Métodos Numéricos e Planejamento de Experimentos.
Publicado
26-05-2019
Como Citar
Rocha, B., dos Santos, R., Nola, I. T., Crispim, F., & Christoforo, A. (2019). MODELOS DE PREVISÃO DO TEOR DE UMIDADE ÓTIMO E DO PESO ESPECÍFICO SECO MÁXIMO PARA SOLOS FINOS. REEC - Revista Eletrônica De Engenharia Civil, 15(1), 183-193. https://doi.org/10.5216/reec.v15i1.50204
Seção
Geotecnia