ESTUDO COMPARATIVO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM DIFERENTES CIMENTOS E DOSADOS EM AMBIENTE DE FÁBRICA

Autores

  • Stael Amaral Padilha Universidade Federal de Pelotas
  • Charlei Marcelo Paliga Universidade Federal de Pelotas
  • Ariela Silva Torres Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5216/reec.v13i2.46469

Resumo

RESUMO: De acordo com Frasson Junior (2000), cada tipo de concreto possui características bem próprias, mas podem ser classificados dentro de dois grandes grupos: plásticos e secos. As diferenças entre eles fazem com que as metodologias de dosagem sejam também distintas. Os concretos plásticos, por serem os mais utilizados possuem metodologias consolidadas e que proporcionam uma determinação da resistência do material com uma boa confiança, diferentemente do concreto seco, que ainda possui diversos estudos de métodos de dosagem, e até adaptações das metodologias dos concretos plásticos para o uso neste tipo de concreto. Assim, este trabalho teve como objetivo realizar um estudo sobre o uso da dosagem proposta por Frasson Junior (2000), realizada em ambiente de fábrica, estudando três tipos de cimentos para a produção de blocos de concreto do tipo seco: CPII-F 32, CPIV 32 e CPV ARI, e três relações cimento:agregado (1:6, 1:8 e 1:10). O parâmetro de avaliação do comportamento dos blocos foi através da análise dimensional e resistência à compressão, seguindo as recomendações de ensaio da NBR 12118 (ABNT, 2014). Os resultados excluíram poucos blocos no ensaio de análise dimensional e demonstraram que todas as famílias apresentaram resistência mecânica compatíveis com elementos a serem usados estruturalmente, e que há bastante variação no consumo de cimento entre traços. ABSTRACT: According to Frasson Junior (2000), each concrete type has its own characteristics, but can be classified into two large groups: plastic and dry. The differences between them make dosing methodologies different. The most commonly used plastic concretes have consolidated methodologies that provide a determination of the resistance of the material with a good confidence, unlike dry concrete, which still has several studies of dosing methods, and even adaptations of the methodologies of plastics concretes for The use in this type of concrete. Thus, the objective of this work was to study the use of the dosage proposed by Frasson Junior (2000), carried out in a factory environment, studying three types of cements for the production of dry concrete blocks: CPII-F 32 , CPIV 32 and CPV ARI, and three cement: aggregate ratios (1: 6, 1: 8 and 1:10). The parameter of evaluation of the behavior of the blocks was through the dimensional analysis and resistance to compression, following the recommendations of test of NBR 12118 (ABNT, 2014). The results excluded a few blocks in the dimensional analysis test and demonstrated that all families presented mechanical resistance compatible with elements to be used structurally, and that there is enough variation in the consumption of cement between traces.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stael Amaral Padilha, Universidade Federal de Pelotas

Engenheiro Civil. Aluno do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo.

Charlei Marcelo Paliga, Universidade Federal de Pelotas

Professor do Departamento de Tecnologia da Construção da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo.

Ariela Silva Torres, Universidade Federal de Pelotas

Professora do Departamento de Tecnologia da Construção e do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo.

Downloads

Publicado

16-05-2017

Como Citar

Padilha, S. A., Paliga, C. M., & Torres, A. S. (2017). ESTUDO COMPARATIVO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM DIFERENTES CIMENTOS E DOSADOS EM AMBIENTE DE FÁBRICA. REEC - Revista Eletrônica De Engenharia Civil, 13(2). https://doi.org/10.5216/reec.v13i2.46469

Edição

Seção

Construção Civil