Literaturas indígenas no ensino-aprendizagem de história e cultura indígena

Indigenous literature in the teaching-learning of indigenous history and culture

Autores

  • Camila Nogueira Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luís, Maranhão, Brasil. E-mail: camilaangelr91@gmail.com https://orcid.org/0000-0003-2384-7266

DOI:

https://doi.org/10.5216/racs.v6.66077

Palavras-chave:

Textualidade indígena, Protagonismo indígena, Representação, Ensino e aprendizagem

Resumo

O presente artigo reflete o uso de textualidades de matrizes ameríndias no processo de ensino e aprendizagem de história e cultura indígenas, tendo em vista que as representações de povos indígenas do território brasileiro estão presentes em diferentes memórias, nas dos próprios indígenas e na dos não indígenas. Como exemplo é possível sublinhar a de missionários europeus; a literatura (romances, poemas); registros de viajantes do século XIX, cinema nacional, livros didáticos de história, documentos oficiais do Estado brasileiro, entre outros textos que representam um conjunto de interpretações que a partir dos seus enredos e lógicas discursivas influenciam os leitores no processo de “compreensão”, por conseguinte, no reconhecimento das diversidades, complexidades e participações históricas das sociedades indígenas. Em razão disso, será utilizado e ressaltado o uso de produções de intelectuais e escritores contemporâneos indígenas como ferramenta para transversalização de olhares e narrativas com distintos vínculos de expressões. Considerando-se, ainda, que as textualidades de matrizes ameríndias podem simbolizar aporte na troca de saberes entre diferentes grupos étnicos sociais, descentralizando, assim, interpretações que excluíram historicamente diferentes sujeitos e grupos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, M. I. de; QUEIROZ, S. Na captura da voz: as edições da literatura oral no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

ALMEIDA, M. R. C. de. Os índios no tempo da corte: reflexões sobre política indigenista e cultura política indígena no Rio de Janeiro oitocentista. Revista USP, (79), 2008, p. 94-105. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i79p94-105. Disponível em: < https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13697>. Acesso em: 15 jan. 2021.

________. Os índios na história do Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

________. Os índios na História do Brasil no século XIX: da invisibilidade ao protagonismo. Revista História Hoje, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 21-39, 2012.

________. A atuação dos indígenas na História do Brasil: revisões historiográficas. Rev. Bras. Hist. [online], 2017, v.37, n.75, p.17-38. Epub Aug 17, 2017. ISSN 1806-9347. https://doi.org/10.1590/1806-93472017v37n75-02. Disponível em:< https://www.scielo.br/pdf/rbh/v37n75/1806-9347-rbh-2017v37n75-02.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2020.

AZEVEDO, M.M; SILVA, M.F. Pensando as escolas dos povos indígenas no Brasil: o movimento dos professores • Indígenas do Amazonas, Roraima e Acre*. In A. L. Silva & L. D. B. Grupioni (Orgs.), A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília, DF: MEC/MARI/UNESCO, 1995. p. 149-166.

BANIWA, G.S.L. O Índio Brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/indio_brasileiro.pdf. Acesso em: 21 jun. 2020.

BICALHO, P. S. S. Protagonismo indígena no Brasil: movimento, cidadania e direitos (1970-2009). 2010. Tese (Doutorado em História) - Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de História, Brasília, 2010.

BITTENCOURT, C. M. F. Ensino de História: fundamentos e métodos. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009. (Coleção Docência em Formação – Série ensino fundamental).

BOENO, R. M; GISI, M. L; FILIPAK, S. T. O contexto brasileiro e a formulação da educação básica. In: Congresso Nacional de Educação, XVII, 2015, Curitiba. Anais. Curitiba: Pucpr, 2015. p. 20942 - 20958.

BRAGA, D. A história dos Kaingang na luta pela terra no rio grande do sul: Do silêncio, à reação, a reconquista e a volta para casa (1940-2002). 2015. Dissertação. (Mestrado em História), Programa de Pós-Graduação em História. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Terra Indígena Serrinha, 2015.

BRIGHENTI, C. A. (2016). Colonialidade do poder e a violência contra os povos indígenas. PerCursos, 16(32), p. 103-120. https://doi.org/10.5965/1984724616322015103 Disponível em:<https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724616322015103/pdf_33>. Acesso em: 21 jan. 2021.

BURKE, P. O que é história cultural. Trad. Sergio Gomes de Paula. Rio de Janeiro: Jorge zahar Ed., 2005.

BURKE, P. Hibridismo cultural. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2006.

CARVALHO Júnior, A.D. A construção dos índios pelo Ocidente e seus corpos indomados (Amazônia, séculos XVII e XVIII) In SOUZA, Fábio Feltrin de; WITTMANN, Luisa Tombini (org.). Protagonismo indígena na história. Tubarão: UFFS, 2016, p. 57-86.

CARVALHO, A.W.B. de. Narrativas Guajajara: A voz indígena para além das aldeias.

CESARINO, Pedro de Niemeyer. Histórias indígenas dos tempos antigos. São Paulo: Claro Enigma, 2015.

CHARTIER, R. (1991). O mundo como representação. Estudos Avançados, 5(11), 173-191. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/8601. Acesso em: 05 jun. 2020.

CLAUDINO, Z. K. A formação da pessoa nos pressupostos da tradição, educação indígena Kaingang. Dissertação. (Mestrado em Educação), Programa de Pós-Graduação em educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre-RS, 2013.

CUNHA, M. C. Índios no Brasil: história, direito e cidadania. 1. ed. São Paulo: Claro Enigma, 2012. Dissertação. (Mestrado em Letra), Programa de Pós-graduação em Letras e estudos literários da Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2016.

DORNELLES, S. S; MELO, K. M. R. Sobrevoando histórias: sobre índios e historiadores no Brasil e nos Estados Unidos. Porto Alegre, v. 22, n. 41, p. 173-208, jul. 2015.

ESCALANTE, E. del V. Teorizando las literaturas indígenas contemporáneas. A Contracorriente, Raleigh, NC, 2015.

FAUSTO, Carlos. Inimigos Fiéis: História, Guerra e Xamanismo na Amazônia. São Paulo: Edusp, 2001.

FREIRE, J. R. B.: A canoa do tempo: tradição oral e memória indígena. In: Taqui pra Ti. [Acervo de produção acadêmica]. 2008. Disponível em: http://docplayer.com.br/8372717-A-canoa- -do-tempo-tradicao-oral-e-memoria-indigena-1.html. Acesso em: 02 abr. 2021.

GOMES, G. K.; LIMA, C. D. V. G. Os Fatores da textualidade na produção escrita: um olhar sobre os livros didáticos do ensino médio. II Congresso Nacional de Educação – II Conedu. Disponível em: <https://editorarealize.com.br/editora/anais/conedu/2015/TRABALHO_EV045_MD1_SA15_ID2157_26082015221022.pdf >. Acesso em: out. 2015.

GOMES, M. P. Os índios e o Brasil – ensaio sobre um holocausto e sobre uma nova possibilidade de convivência. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

GRAÚNA, M. G. F. Contrapontos da Literatura Indígena contemporânea no Brasil. Tese (Doutorado em Letra), Programa de Pós-Graduação em Letras, da Universidade Federal de Pernambuco. Recife: UFPE, 2003.

GRAÚNA, M. G. F. Literatura Indígena no Brasil contemporâneo e outras questões em aberto. Revista Educação e Linguagem, v. 15, n.25, p.266-276, ISSN Impresso: 1415-9902. ISSN Eletrônico: 2176-1043. 2012.

GUTJAHR, Eva. Entre tradições orais e registros da oralidade indígena. SÃO PAULO, 2008. Dissertação. (Mestrado em Antropologia Social) Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

IBGE. Estudos especiais: O Brasil indígena. Disponível em: https://indigenas.ibge.gov.br/. Acesso em: 10 out. 2020.

JECUPÉ, K. W. A terra dos mil povos: história indígena brasileira contada por um índio. São Paulo: Peirópolis, 1998.

LE GOFF, J. História e memória. Tradução de Bernardo leitão. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

LOPES DA SILVA, A. Introdução: educação e diversidade. In. GRUPIONI, Luiz Donizete Benzi; SILVA, Aracy Lopes da. A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília: MEC: MARI:UNESCO, 1995.

MASSONI, L.F.H. A história oral e as memórias dos excluídos na escrita do conhecimento. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, v.2, n.4, p. 36-41, TRI IV 2017. ISSN 2525-3824.

MONTEIRO, J. M. O escravo índio, esse desconhecido. In: GRUPIONI, L. D. B. (Org.). Índios no Brasil. Brasília: MEC, 1994.

_________. O desafio da História indígena no Brasil. In. GRUPIONI, Luiz Donizete Benzi; SILVA, Aracy Lopes da. A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília: MEC:MARI:UNESCO, 1995.

_________. Armas e Armadilhas: História e resistência dos índios. In: NOVAES, Adauto (org.). A outra margem do ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, p. 237-249,1999.

_________. Tupis, tapuias e historiadores: estudos de História Indígena e do indigenismo. Tese (Livre Docência em História) - Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Campinas, 2001.

MUNDURUKU, D. Entrevista: Daniel Munduruku. Entrevista concedida a Bruno Ribeiro. Revista Consciência. 5 de fevereiro de 2010. Disponível em: https://revistaconsciencia.com/entrevista-daniel-munduruku/. Acesso em: 16 jun. 2020.

MUNDURUKU, D. Mundurukando. São Paulo: Ed. do Autor, 2010.

__________. Literatura Indígena e o tênue fio entre escrita e oralidade. 2008. Disponível em: www.overmundo.com.br/overblog/literatura-indigena. Acesso em: 11 dez. 2019.

MURA, M. Tecendo Tradições Indígenas. (2016). Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

NEUMANN, E. Práticas letradas guarani: produção e usos da escrita indígena (séculos XVII e XVIII). Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

OLIVEIRA, J. P. O nascimento do Brasil e outros ensaios: “pacificação”, regime tutelar e formação de alteridades. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2016.

OLIVEIRA, J. P; FREIRE, C.A.R. A Presença Indígena na Formação do Brasil – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006.

OLIVEIRA, R. Identidade étnica, reconhecimento e o mundo moral. Revista anthropológicas, ano 9, v. 16(2), p. 9-40. 2005.

POLLAK, M. Memória e identidade social. Os Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n.10, p. 200-212, Rio de Janeiro, 1992.

POLLAK, M. Memória esquecimento e silêncio. Os Estudos históricos, v. 2, n.3, p. 3-15, Rio de Janeiro, 1989.

POTIGUARA, E. Terra é a mãe do índio. Rio de Janeiro: Grumin, 1989.

________. Akajutibiró : terra do índio Potiguara. Rio de Janeiro : Grumin, 1994.

________. Metade cara, metade máscara. São Paulo: Global, 2004.

________. Metade cara, metade máscara. 2. ed. Lorena: DM Projetos Especiais, 2018.

SANTOS, F. B. Leitura da literatura indígena na sala de aula: contribuições para o ensino. RIOS Eletrônica – Revista Científica da Faculdade Sete de Setembro. a.11, n. 12 (Jul. 2017) Paulo Afonso, BA: FASETE, 2017.

SANTOS, M. C. dos; FELIPPE, G. G. Protagonismo como substantivo na História. In: SANTOS, Maria Cristina dos; FELIPPE, Guilherme Galhegos (Org.). Protagonismo Ameríndio Ontem e Hoje. Jundiaí: Paco Editorial, 2016. p. 13-52.

SANTOS, S. C. Os direitos dos indígenas no Brasil. In: A. L. SILVA; GRUPIONI, L. D. B. (org.), A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília, DF: MEC/MARI/UNESCO, 1995. p. 87-108.

SCARAMUZZI, I. A. B. De índios para índios: a escrita indígena da história. Dissertação (Mestrado em Ciência Social), Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2008.

SILVA, E. Povos indígenas e ensino de história: subsídios para a abordagem da temática indígena em sala de aula. História & Ensino, Londrina, v. 8, p. 45-62, out. 2002.

SILVA, G. J. ; COSTA, A. M. Histórias e culturas indígenas na educação básica. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

SOUZA, F. F. de; WITTMANN, L. T. (Org.). Protagonismo indígena na história. Tubarão: UFFS, 2016.

THIÉL, J. Pele silenciosa, pele sonora a literatura indígena em destaque. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

WITTMAN, L. T. (Org.). Ensino (d)e história indígena. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

ZANCHETTA, M.I. Povos indígenas no Brasil: 2006/2010. Socioambiental. São Paulo, Instituto Socioambiental, ano 17, n.49, 2011.

Downloads

Publicado

09-04-2021

Como Citar

Nogueira, C. (2021). Literaturas indígenas no ensino-aprendizagem de história e cultura indígena: Indigenous literature in the teaching-learning of indigenous history and culture. Articulando E Construindo Saberes, 6. https://doi.org/10.5216/racs.v6.66077