Aprendizagem e ensino de História em contextos educacionais indígenas e não indígenas

Autores

  • Luciana Leite Silva Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/racs.v5i0.59530

Palavras-chave:

Aprendizagem histórica intercultural, Decolonialidade e educação (indígena e não indígena)

Resumo

Queremos aqui compartilhar as principais questões da pesquisa intitulada “Aprendizagem histórica intercultural a partir dos saberes transitados nos contextos educacionais indígenas e não indígenas”. Gersem Luciano Baniwa (2006) afirma que, até a aprovação da Constituição de 1988, existiu no Brasil uma “educação para índio” que foi formulada no contexto europeu e utilizada como ferramenta no processo de colonização de nosso continente. Nos últimos anos, esta situação tem sido discutida a partir da reivindicação do reconhecimento da existência de epistemologias e pedagogias milenares criadas e praticadas pelos povos originários. Estas experiências de retomada dos espaços escolares, transformando-os em lugar de resistência e não de reprodução do modelo educacional formulado a partir da tradição pedagógica jesuítica, tem me servido de inspiração para discutir o ensino de história nas escolas não indígenas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERNAL, Martin. Atenea Negra Barcelona. Las raíces afroasiáticas de la civilización clásica. Volume I: La Invención de la Antigua Grecia, 1785-1985. Traducción castellana de Teófilo de Lozoya. Barcelona, Crítica, 1993.

BOULOS, Guilherme. História, Sociedade e Cidadania. 6º ano. Ed. FTD; Rio de Janeiro: 2015a.

______. História, Sociedade e Cidadania. 7º ano. Ed. FTD; Rio de Janeiro: 2015b.

BRASIL, Lei 11.645 de 10 de março de 2008.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta Preliminar. 2015.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, 80 | 2008, 115-147.

KRENAK, Ailton. Antes, o mundo não existia In: NOVAES, Adauto (Org.). Tempo e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

______. O eterno retorno do reencontro. In: A outra margem do Ocidente. Organização Adauto Novaes. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

LUCIANO, Gersem José dos Santos. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: MEC/SECAD; LACED/MUSEU NACIONAL. 2006.

MAHER, Terezinha Machado. A Educação do Entorno para a interculturalidade e o plurilinguismo. In: KLEIMAN, A. B.; Cavalcanti, M. C. (Orgs.) Linguística Aplicada: faces e interfaces. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2007, p. 255-270.

MUNDURUKU, Daniel. O caráter educativo do movimento indígena brasileiro (1970-1990). São Paulo: Paulinas, 2012. (Coleção educação em foco. Série educação, história e cultura).

NASCIMENTO, A. M. Português Intercultural: As experiências e Histórias de vida de cada uma: auto-representação e autorias indígnenas. Goiânia: FUNAP/PROLIND 2012.

PLANO POLÍTICO DO CURSO DE EDUCAÇÃO INTERCULTURAL. Núcleo Takinahak?. Universidade Federal de Goiás, 2019.

POTIGUARA, Eliane. A palavra da mulher é sagrada. 29 de setembro de 2007. Disponível em: <http://itaquatiara.blogspot.com/2007/09/eliane-potiguaraa-palavra-da-mulher.html>.

RODRIGUES, Patrícia de Mendonça. A caminhada de Tanyxiwè: uma teoria Javaé da História. Chicago, Illinois. Tese de Doutorado, 2008.

SANTOS, Boaventura de Souza e MENEZES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2009.

TOBIAS, José Antônio. História das ideias no Brasil. São Paulo: EPU, 1987.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Prefácio. In: KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. Tradução Beatriz Perrone-Moisés; prefácio de Eduardo Viveiros de Castro. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

Downloads

Publicado

21-01-2020

Como Citar

Silva, L. L. (2020). Aprendizagem e ensino de História em contextos educacionais indígenas e não indígenas. Articulando E Construindo Saberes, 5. https://doi.org/10.5216/racs.v5i0.59530