HÉLIO REIS E PAULO FREIRE: TEORIA E PRÁTICA EM APRENDIZADOS MÚTUOS

Autores

  • Patrícia Cláudia da Costa Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v12i1.31218

Resumo

Este estudo pretende analisar as contribuições mútuas para o aprendizado dos
desafios da educação popular no Brasil, no período imediatamente posterior ao exílio político
vigente entre 1964-1980, com base em duas fontes orais inéditas: a transcrição de um registro
em áudio de um dos encontros entre Paulo Freire e educadores populares que atuavam na
cidade de Guarulhos, realizado em 1980, e entrevista com um agente social que se destacava
nesse grupo, por sua diferenciada experiência de exílio interno, o Prof. Hélio de Sousa Reis.
Ambos os registros serão analisados com base no cotejamento das fontes associado ao
arcabouço teórico freiriano. Os eixos de análise são: a questão da continuidade e do
acompanhamento dos educandos, a pós-alfabetização, a distinção entre tomada de consciência
e conscientização e, por fim, a finalidade da alfabetização. Espera-se colocar em discussão a
relação entre prática e teoria na educação popular, evidenciando que uma produção intelectual
da envergadura da obra freiriana deve grande parte de seus conteúdos e análises às vozes e
visões de educadores populares, com os quais o autor travou generoso e atento diálogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-07-22

Como Citar

COSTA, P. C. da. HÉLIO REIS E PAULO FREIRE: TEORIA E PRÁTICA EM APRENDIZADOS MÚTUOS. Poíesis Pedagógica, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 219–239, 2014. DOI: 10.5216/rpp.v12i1.31218. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/31218. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

FLUXO CONTÍNUO