PROVINHA BRASIL: AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA OU CLASSIFICATÓRIA

Autores

  • Patrícia Maria Machado da Silva Universidade Federal de Goiás
  • Maria Aparecida Lopes Rossi Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v11i2.29581

Resumo

Diante do baixo índice de desempenho em leitura dos estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental verificado pelas avaliações nacionais, o Ministério da Educação (MEC) vem tomando medidas com a justificativa de tentar resolver o problema. Dentre elas, destacamos aqui, a instituição da Provinha Brasil de Língua Portuguesa que, de acordo com o MEC, serve como um instrumento para avaliar o nível de alfabetização em que se encontra o aluno no 2º Ano do Ensino fundamental. O papel dessa avaliação, segundo documentos do MEC, seria levar o professor a reformular sua prática. Nesse sentido, este estudo tem o objetivo de analisar pesquisas relacionadas com a Provinha Brasil a partir de artigos publicados no Scielo em 2011 e 2012. Os artigos apontam diversos problemas ao avaliar a qualidade da Provinha Brasil, como: nº insuficiente de descritores para avaliar as habilidades de alfabetização e o letramento, variação no grau de complexidade de uma edição para outra, questões complexas para avaliar a capacidade de inferência, divergência entre a forma de trabalhar o conteúdo em sala de aula em relação ao que é cobrado na Provinha Brasil e treinamento constante dos alunos para que obtenham bons resultados na Provinha. Esses resultados apontados pelos autores indicam a necessidade de um currículo único para a alfabetização e nos levam a concluir a necessidade de que a Provinha Brasil ainda necessita de vários estudos e ajustes para realmente se constituir como um instrumento que sirva de indicador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-04-25

Como Citar

SILVA, P. M. M. da; ROSSI, M. A. L. PROVINHA BRASIL: AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA OU CLASSIFICATÓRIA. Poíesis Pedagógica, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 77–92, 2014. DOI: 10.5216/rpp.v11i2.29581. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/29581. Acesso em: 22 maio. 2022.