HÉLIO REIS E PAULO FREIRE: TEORIA E PRÁTICA EM APRENDIZADOS MÚTUOS

Autores

  • Patrícia Claudia Costa Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v12i1.29358

Resumo

Este estudo pretende analisar as contribuições mútuas para o aprendizado dos desafios da educação popular no Brasil, no período imediatamente posterior ao exílio político vigente entre 1964-1980, com base em duas fontes orais inéditas: a transcrição de um registro em áudio de um dos encontros entre Paulo Freire e educadores populares que atuavam na cidade de Guarulhos, realizado em 1980, e entrevista com um agente social que se destacava neste grupo, por sua diferenciada experiência de exílio interno, o Prof. Hélio de Sousa Reis. Ambos os registros serão analisados com base no cotejamento das fontes associado ao arcabouço teórico freiriano. Os eixos de análise são: a questão da continuidade e do acompanhamento dos educandos, a pós-alfabetização, a distinção entre tomada de consciência e conscientização e, por fim, a finalidade da alfabetização. Espera-se colocar em discussão a relação entre prática e teoria na educação popular, evidenciando que uma produção intelectual da envergadura da obra freiriana deve grande parte de seus conteúdos e análises às vozes e visões de educadores populares, com os quais o autor travou generoso e atento diálogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Claudia Costa, Universidade Federal de Viçosa

Docente do Instituto de Ciências Humanas, área de Fundamentos da Educação, da Universidade Federal de Viçosa campus Florestal.

Doutoranda da Faculdade de Educação da USP.

Publicado

2018-07-26

Como Citar

COSTA, P. C. HÉLIO REIS E PAULO FREIRE: TEORIA E PRÁTICA EM APRENDIZADOS MÚTUOS. Poíesis Pedagógica, Goiânia, v. 12, n. 1, 2018. DOI: 10.5216/rpp.v12i1.29358. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/29358. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

FLUXO CONTÍNUO