O QUE DUAS PROFESSORAS QUE ATUARAM NO ENSINO RURAL TÊM PARA NOS CONTAR? LEMBRANÇAS DE VIDA, HISTÓRIAS SOBRE ALFABETIZAÇÃO E TRAJETÓRIAS PESSOAIS E PROFISSIONAIS

Autores

  • Graziela Franceschet Farias
  • Helenise Sangoi Antunes Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v8i1.12172

Resumo

Este texto é oriundo de uma pesquisa que compôs minha Dissertação, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Maria (PPGE/UFSM) e que buscou uma aproximação com as histórias de vida de duas professoras que atuaram no ensino rural de Santa Maria/RS. O objetivo que norteou esta construção é: “estabelecer uma aproximação com as histórias de vida de duas professoras que atuaram no ensino municipal rural do município de Santa Maria - RS, a fim de (re) contar duas histórias de atuação no ensino rural, perpassando pelas lembranças de escola, pelos processos formativos e pelas trajetórias educacionais”. A metodologia está fundamentada em uma abordagem qualitativa, mediante o Método Biográfico – Histórias de Vida. Utilizou-se como instrumentos de coleta de informações as entrevistas semi-estruturadas orais e a autobiografia oral e escrita, o que  proporcionou recontar as trajetórias pessoais e profissionais das colaboradoras. Como decorrência do estudo, menciona-se o levantamento bibliográfico de cunho qualitativo que possibilitou uma aproximação com os estudos sobre História e Memória, Memória e História de Vida, Formação de Professores e trajetória histórica da profissional para o Ensino Rural, História da Educação e da Alfabetização e Cartilhas de Alfabetização; e, a partir dos instrumentos de coleta de informações, emergiram as seguintes categorias de análise: “lembranças de escola”, “processos formativos” e “trajetórias educacionais” de duas professoras colaboradoras que, ao longo da atuação, contribuíram de forma significativa para a História da Educação do município. A construção e a elaboração do Projeto-Piloto de Nuclearização das Escolas Municipais Rurais (1989-1990) e da Cartilha “João-de-Barro” (1984) significou para a época e para o conjunto das Histórias de Vida, a superação de dificuldades profissionais e demonstrou as responsabilidades assumidas com a educação do município no momento em que seguiram a carreira do magistério. Tais (re) construções de Histórias de Vida conferiram cor, movimento e vida ao trabalho de pesquisa, o que possibilitou conhecer “parte” de duas trajetórias pessoais e profissionais de mulheres que representam junto a seus pares e a comunidade “Lideranças docentes”, “Professoras empreendedoras” e “Professoras marcantes”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-10-18

Como Citar

FARIAS, G. F.; ANTUNES, H. S. O QUE DUAS PROFESSORAS QUE ATUARAM NO ENSINO RURAL TÊM PARA NOS CONTAR? LEMBRANÇAS DE VIDA, HISTÓRIAS SOBRE ALFABETIZAÇÃO E TRAJETÓRIAS PESSOAIS E PROFISSIONAIS. Poíesis Pedagógica, Goiânia, v. 8, n. 1, p. 64–92, 2010. DOI: 10.5216/rpp.v8i1.12172. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/12172. Acesso em: 22 maio. 2022.