RECEPÇÃO DE FREUD NA FILOSOFIA DE HERBERT MARCUSE

  • Rafael Cordeiro Silva Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Marcuse, Freud, Teoria Crítica, teoria da mudança social, ecologia radical

Resumo

O objetivo do artigo é explicitar as formas da apropriação marcuseana do pensamento de Freud. Está dividido em quatro tópicos que correspondem ao que sustento ser a relação de Marcuse com a psicanálise. Essa relação se dá a partir da seguinte articulação: 1) apresenta-se como a defesa intransigente da ortodoxia freudiana contra as pretensões revisionistas; 2) fornece os elementos para a teoria marcuseana da sociedade; 3) a psicanálise apresenta conceitos que permitem uma crítica da sociedade e de sua cultura; 4) é evocada para discutir ecologia e a defesa radical do meio ambiente.

Os tópicos 1 e 2 acima compõem o diálogo de Marcuse com Freud na década de 1950. O tópico 2 é específico de seu pensamento. O tópico 3 é desenvolvido em um texto datado de 1963. O único texto em que Marcuse vai a Freud para falar sobre a necessidade de uma política ecológica e radical está discutido na seção 4. A relação Freud e ecologia foi uma das últimas do autor e data de 1977. E essa associação de Freud com a ecologia reforça o caráter específico de seu pensamento em relação aos demais autores da Teoria Crítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Cordeiro Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor Associado do Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Publicado
14-08-2019
Como Citar
Silva, R. (2019). RECEPÇÃO DE FREUD NA FILOSOFIA DE HERBERT MARCUSE. Philósophos - Revista De Filosofia, 24(1). https://doi.org/10.5216/phi.v24i1.50321
Seção
Artigos Originais