PEDRO DAMIÃO E A DIALÉTICA

  • Lessandro Regiani Costa Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Pedro Damião, dialética, princípio de não-contradição.

Resumo

Pedro Damião (1007-1072) normalmente é descrito no interior da história da filosofia como uma espécie de inimigo da dialética, o exemplo mais acabado do anti-intelectual medieval. Boa parte de sua fama é resultado de um excerto de sua obra De divina omnipotentia em que ele parece defender que Deus poderia ferir o princípio de não-contradição. Com este trabalho, pretendemos mostrar que Damião não ataca a validade do princípio de não-contradição, assim como não chega a elaborar uma crítica geral aos princípios dialéticos, mas também não parece um entusiasta da mesma, sobretudo em questões de fé. De modo que ainda que não seja justo caracterizá-lo como um ferrenho anti-intelectual, é preciso considerar seu pouco entusiasmo em relação à aplicação da dialética em teologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lessandro Regiani Costa, Universidade de São Paulo
Possui bacharelado (2007), mestrado (2010) e doutorado (2015) em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Atualmente cursa a licenciatura em Filosofia também pela Universidade de São Paulo. Possui experiência em história da Filosofia Medieval, sobretudo no pensamento de Anselmo de Cantuária. Criador do site Anselmiana (www.anselmiana.com).
Publicado
06-03-2016
Como Citar
Regiani Costa, L. (2016). PEDRO DAMIÃO E A DIALÉTICA. Philósophos - Revista De Filosofia, 20(2), 111-133. https://doi.org/10.5216/phi.v20i2.37994
Seção
Artigos Originais