DEFINING TOPICS IN ARISTOTLE’S <em>TOPICS</em> VI

  • Lucas Angioni Unicamp
Palavras-chave: dialética, definição, teoria da argumentação, validade lógica, Aristóteles, endoxa.

Resumo

Defendo que Tópicos VI não contém nenhuma teoria séria sobre definições (que pudessem ser usada pelo cientista e pelo metafísico em suas tarefas mais importantes), mas apenas um conjunto de conselhos para a formulação de definições em um contexto dialético, ou seja, definições com o objetivo de captar o que o adversário quer dizer. Tópicos VI está repleto de inconsistências que podem ser bem explicadas por esta abordagem: as inconsistências refletem “opiniões aceitáveis sobre definições”, opiniões que grupos distintos de interlocutores aceitam. Defendo também (como uma maneira de provar o meu ponto) que os “topoi” não são (ou não precisam ser em todos os casos) partes de uma teoria séria proposta por Aristóteles como sua. Os “topoi” (isto é, os proto-esquemas argumentativos que Aristóteles apresenta como permissões para uma inferência) também deve ser considerados como “endoxa”, ou seja, como opiniões aceitas sobre como é legítimo fazer uma inferência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Angioni, Unicamp
Possui graduação em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1994), mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é professor da Universidade Estadual de Campinas, na área de História da Filosofia Antiga (sobretudo Platão e Aristóteles), atuando principalmente nos seguintes temas: metafísica, teoria da predicação, ética e teoria das explicações científicas.
Publicado
12-01-2015
Como Citar
Angioni, L. (2015). DEFINING TOPICS IN ARISTOTLE’S <em>TOPICS</em&gt; VI. Philósophos - Revista De Filosofia, 19(2), 151-193. https://doi.org/10.5216/phi.v19i2.31609
Seção
Dossiê de Artigos Originais