AS RELAÇÕES ENTRE O PROÊMIO DA <em>ÉTICA EUDÊMIA</em> E O RESTANTE DA OBRA – UMA DISCUSSÃO A PARTIR DA ANÁLISE DE <em>ÉTICA EUDÊMIA I 7</em>

  • Raphael Zillig Universidade Federal do Rio Grande do Sul/Cnpq
Palavras-chave: Aristóteles, método, felicidade, telos.

Resumo

A investigação de Aristóteles acerca da felicidade na Ética Eudêmia tem seu início efetivo em EE I 7, uma vez que os primeiros seis capítulos da obra são descritos como um proêmio. Diante disso, surge uma questão acerca da natureza das relações entre o proêmio e o texto principal. Deve-se tomar o proêmio como desempenhando uma função meramente introdutória à investigação propriamente dita ou é possível que os argumentos desenvolvidos na investigação da EE dependam do que fora exposto no proêmio? Acreditamos que uma análise do argumento de EE I 7 possa lançar alguma luz sobre essa questão. Sustentaremos que esse argumento, ao menos, retira uma de suas premissas do proêmio e, portanto, não pode progredir sem basear-se na porção introdutória do texto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Zillig, Universidade Federal do Rio Grande do Sul/Cnpq

Possui mestrado (2003) e doutorado (2008) pela UFRGS, ambos dedicados à metafísica aristotélica. Foi professor assistente e adjunto na UFPR (2009-2010) e é atualmente professor adjunto na UFRGS. Dese 2012, é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq (nível 2) e pesquisador colaborador da Universidade Estadual de Campinas.

 

Publicado
06-11-2014
Como Citar
Zillig, R. (2014). AS RELAÇÕES ENTRE O PROÊMIO DA <em>ÉTICA EUDÊMIA</em> E O RESTANTE DA OBRA – UMA DISCUSSÃO A PARTIR DA ANÁLISE DE <em>ÉTICA EUDÊMIA I 7</em&gt;. Philósophos - Revista De Filosofia, 19(2), 221-265. https://doi.org/10.5216/phi.v19i2.31268
Seção
Dossiê de Artigos Originais