A CIÊNCIA E OS VALORES HUMANOS: REPENSANDO UMA TESE CLÁSSICA HUMANOS: REPENSANDO UMA TESE CLÁSSICA

Autores

  • Alberto Cupani UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v9i2.3036

Resumo

No seu artigo “Science and human values” (1960), C.G. Hempel analisou a relação entre enunciados científicos e julgamento de valor, sustentando que os últimos não podem ser pressupostos pelos enunciados científicos nem deles derivados. Embora reconhecesse a influência de valorações na escolha da atividade científica e em certos aspectos da metodologia, Hempel enfatizava que as valorações não têm lugar em absoluto no conhecimento científico como tal, e finalizava mostrando que o progresso científico pode causar mudanças em atitudes de valoração, ainda que não possa em rigor fundamentá-las. Neste trabalho indago se a transformação da filosofia da ciência operada na segunda metade do século vinte, junto com as contribuições da sociologia do conhecimento e da história da ciência, modifica o diagnóstico de Hempel. Como este assunto é muito amplo, a minha abordagem é inevitavelmente parcial. Palavras-chave: Carl G. Hempel, ciência e valores, valores na ciência, conhecimento e valoração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-24

Como Citar

CUPANI, A. A CIÊNCIA E OS VALORES HUMANOS: REPENSANDO UMA TESE CLÁSSICA HUMANOS: REPENSANDO UMA TESE CLÁSSICA. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 9, n. 2, 2007. DOI: 10.5216/phi.v9i2.3036. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/philosophos/article/view/3036. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais