NOTAS SOBRE A FILOSOFIA CONCRETA DO INÍCIO DO SÉCULO XX

  • Leandro Neves Cardim Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Espírito, concreto, universal, particular.

Resumo

Trata-se, para nós, de nos situar junto à filosofia de Merleau-Ponty para fazer surgir, em contraste com o comportamento teórico denominado por ele de “pequeno racionalismo” do início do século XX, a noção de concreto, a qual mistura em si mesma o fato e a essência, a particularidade e a universalidade. Inicialmente, lembraremos o modo como o filósofo comenta esta postura teórica que reduz tudo o que se pode dizer sobre o mundo àquilo que diz a ciência. Em seguida, insistiremos, mesmo que muito rapidamente, no fato de que tal posição teórica não está distante de uma posição política demasiadamente otimista que não se dá conta do mundo em que ela mesma se manifesta. Segundo Merleau-Ponty, para compreendermos as relações entre o sentido e o não-sentido é preciso formar uma nova ideia de razão: não uma razão que opera agenciando conceitos sobre um fundo de racionalidade inquestionável, mas uma razão que abarca suas origens. O esboço destas ideias servirá de pano de fundo para estas notas que giram em torno da noção de concreto na filosofia do início do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Neves Cardim, Universidade Federal do Paraná
Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná; área: filosofia contemporânea (fenomenologia, ontologia, epistemologia histórica, estética).
Publicado
15-09-2012
Como Citar
Cardim, L. N. (2012). NOTAS SOBRE A FILOSOFIA CONCRETA DO INÍCIO DO SÉCULO XX. Philósophos - Revista De Filosofia, 17(1), 87-107. https://doi.org/10.5216/phi.v17i1.16894
Seção
Dossiê de Artigos Originais