Produtividade de proteína e teor de minerais em ora-pro-nobis sob sistema superadensado de plantio

  • Maria Regina de Miranda Souza EPAMIG - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais - Pesquisador
  • Paulo Roberto Gomes Pereira Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG
  • Rafael Gustavo Faria Pereira Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG
  • Ivan de Paiva Barbosa Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG
  • Maria Cristina Baracat-Pereira Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG

Resumo

O desenvolvimento de tecnologias para aumentar a produtividade de ora-pro-nobis poderá contribuir para a sua inserção no mercado como excelente fonte de proteína. Objetivou-se avaliar a influência do adensamento de plantas sobre a produtividade de proteína e teor de minerais em folhas e ramos de ora-pro-nobis. O experimento consistiu de cinco tratamentos (1 planta m-², 5 plantas m-², 10 plantas m-², 25 plantas m-² e 50 plantas m-²), em três blocos. Obtiveram-se oito colheitas consecutivas em 12 meses, e a densidade de 10 plantas m-² foi considerada a melhor, com produtividades de matéria fresca e seca de folhas e de matéria fresca e seca de ramos com folhas de, respectivamente, 144 t ha-1 ano-1, 25,6 t ha-1 ano-1, 310,8 t ha-1 ano-1 e 58,3 t ha-1 ano-1. O teor médio de proteínas das folhas (22,4 %) não foi influenciado pelas densidades de plantio. Estimaram-se produções totais de proteína de 5.759 kg ha-1 ano-1 e 9.035,3 kg ha-1 ano-1 nas folhas e ramos com folhas, respectivamente. O sistema superadensado com 10 plantas m-2 em colheitas sucessivas é uma forma rápida de produzir grande quantidade de proteína vegetal e folhas ricas em minerais por área e tempo, para a alimentação humana e animal.

PALAVRAS-CHAVE: Pereskia aculeata Mill., hortaliças não convencionais, proteína vegetal, alimento funcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Regina de Miranda Souza, EPAMIG - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais - Pesquisador

Pesquisadora da EPAMIG - Unidade Regional da Zona da Mata - Área de  Atuação:  Prospecção e produção de plantas tradicionais.  Graduada em Engenharia Agrícola e Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1986/1988). MS em Extensão Rural e DSc em Fitotecnia. Tem experiência em extensão rural, desenvolvimento local e plantas tradicionais locais, em especial hortaliças não convencionais – HNC. Vem se dedicando desde 2008 ao estudo sobre hortaliças não convencionais, em especial do ora-pro-nobis, cultivo, componentes nutricionais, medicinais e funcionais, mercado, desenvolvimento de produtos e compostos, pesquisa e extensão. Orojeto Feira com Ciência: Produção consumo e comercialização de alimentos e produtos da tradição popular.

Paulo Roberto Gomes Pereira, Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG

Bolsista DT 2006 - 2018. Graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1983), Mestrado em Microbiologia Agrícola/Solo pela Universidade Federal de Viçosa - UFV (1986) e Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela UFV (1992). É Professor da UFV- Dep. Fitotecnia desde 1991. Coordenador das Disciplinas Nutrição Mineral de Plantas para Pós-Graduação e Olericultura para Agronomia. Professor da Disciplina Nutrição Mineral de Plantas para Graduação. Linhas de pesquisa e desenvolvimento de produtos e processos: nitrogênio, diagnóstico, adubação e qualidade de produto; hidroponia comercial e residencial com ênfase em agricultura urbana para segurança alimentar.

Consultor de revistas científicas e agências financiadoras de pesquisa e agências de inovação. Consultor ad hoc do CNPq de várias propostas para bolsa DT desde 2006. Consultor ad hoc Programa Inova Talento IEL/CNPq/RHAE 2017.

Rafael Gustavo Faria Pereira, Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG

Engenheiro agrônomo e mestre em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (2013, 2016), com experiência profissional em assessoria à execução do PNAE pelo CECANE UFG. Estagiário, Bolsista de Iniciação Científica e Bolsista de Apoio Técnico na EPAMIG na área de hortaliças não convencionais Projeto “Feira com Ciência: Produção, Consumo e Comercialização de alimentos e produtos da tradição popular”. Experiência na área de Fitotecnia e Extensão rural, com ênfase em manejo e tratos culturais de hortaliças, adubação e cultivo orgânico e agroecológico, agrobiodiversidade, ensino em agroecologia para educação básica, PNAE, agricultura familiar, metodologias participativas.

Maria Cristina Baracat-Pereira, Universidade Federal de Viçosa - Viçosa - MG

Graduada em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 1985), Mestre em Microbiologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV/1990), Doutora em Bioquímica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/2000) e Pós-Doutora em Bioinformática Aplicada a Proteínas e Peptídeos pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora Titular na UFV, atua integrando conhecimentos de sua formação em Engenharia Química, Microbiologia, Bioquímica e Bioinformática, para o estudo de proteínas e peptídeos e suas aplicações

Publicado
10-06-2020
Como Citar
SOUZA, M. R. DE M.; GOMES PEREIRA, P. R.; FARIA PEREIRA, R. G.; BARBOSA, I. DE P.; BARACAT-PEREIRA, M. C. Produtividade de proteína e teor de minerais em ora-pro-nobis sob sistema superadensado de plantio. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 50, p. e62365, 10 jun. 2020.
Seção
Artigo Científico