Volume de recipiente e fertilizante de liberação controlada afetam a qualidade de mudas de Agonandra brasiliensis

Resumo

Agonandra brasiliensis é uma árvore de florestas tropicais, com ampla ocorrência na região do Cerrrado brasileiro. Apesar do seu potencial como madeira e para reflorestamento, eficientes protocolos para a produção de mudas ainda estão em falta. Objetivou-se avaliar características morfológicas para a qualidade de mudas de A. brasiliensis, em condições de viveiro, em função do volume do recipiente e dose de fertilizante de liberação controlada. O experimento foi realizado em esquema fatorial 2 x 5, testando-se dois volumes (1,8 L e 2,2 L) de recipiente e cinco doses (0 g L-1, 1 g L-1, 2 g L-1, 4 g L-1 e 8 g L-1) do fertilizante encapsulado Forth Cote® (formulação NPK 15-09-12). As parcelas constituíram-se de cinco mudas homogêneas transplantadas em sacos de polietileno (15 cm x 35 cm) com substrato de areia média lavada. As seguintes características foram mensuradas: comprimento da parte aérea; diâmetro do caule; incrementos em comprimento e diâmetro; matéria seca total; matéria seca da parte aérea e da raiz e a razão entre elas. Também foi determinado o Índice de Qualidade de Dickson. A qualidade das mudas para caracteres morfológicos como comprimento da parte aérea, diâmetro de caule e matéria seca total foi especialmente favorecida por tratamentos que combinaram o fertilizante de liberação controlada em dose aproximada de 5,0 g L-1 e recipiente com volume de 2,2 L.

PALAVRAS-CHAVE: Pau-marfim, fertilizante encapsulado, Cerrrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
21-07-2020
Como Citar
SMIDERLE, O. J.; MONTENEGRO, R. A.; SOUZA, A. DAS G.; CHAGAS, E. A.; DIAS, T. J. Volume de recipiente e fertilizante de liberação controlada afetam a qualidade de mudas de Agonandra brasiliensis. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 50, p. e62134, 21 jul. 2020.
Seção
Artigo Científico