Variabilidade no espaçamento de sementes reduz a produtividade de feijão-comum

  • Mateus Bortoluzi Bisognin Universidade Federal de Santa Maria
  • Osmar Henrique de Castro Pias Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • André Luis Vian Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Claudir José Basso Universidade federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen
  • Antônio Luis Santi Universidade federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen

Resumo

A distribuição irregular de sementes na linha de semeadura aumenta a competição intraespecífica das plantas por recursos ambientais, podendo reduzir a produtividade de grãos. Objetivou-se avaliar os componentes de rendimento e produtividade de feijão-comum, em função de coeficientes de variação (0 %, 20 %, 40 % e 60 %) das sementes na linha de semeadura. Avaliaram-se os principais componentes de rendimento, características da planta e produtividade de grãos. O componente de rendimento que melhor explica a distribuição das sementes na produtividade de grãos é o número de grãos por planta (r = 0,94). A produtividade de grãos reduz-se linearmente com o aumento da variação na distribuição das sementes: 81,5 kg ha-1 (4,4 %) para cada 10 % de aumento no coeficiente de variação. Dessa forma, uma semeadura com baixa variabilidade longitudinal contribui para a obtenção de maior produtividade de grãos.

PALAVRAS-CHAVE: Phaseolus vulgaris, distribuição longitudinal de sementes, arranjo de plantas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Bortoluzi Bisognin, Universidade Federal de Santa Maria

Tem experiência na área de Agronomia, onde atualmente realizo o estágio supervisionado final, formado em Técnico em Agropecuária pelo colégio CEDUP-CE em Santa Catarina. Foi colaborador do Laboratório de Agricultura de Precisão (LAP-Sul) ênfase para AP em solos e plantas, culturas da soja, milho e trigo e bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET), participando de projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão, bem como a realização de cursos, palestras e simpósios. Mestre em Agricultura de precisão, pelo programa de pós graduação em agricultura de precisão - UFSM.

Osmar Henrique de Castro Pias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Técnico em Agropecuária pela Escola Estadual Técnica Celeste Gobbato (2007-2009), Engenheiro Agrônomo (2010-2014) e Mestre em Agronomia (Programa de Pós Graduação em Agronomia Agricultura e Ambiente) (2015) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), campus de Frederico Westphalen. Atualmente é Pós-Graduando em nível de doutorado do Programa de Ciência do solo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (desde 2016). Professor adjunto do curso de agronomia da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Realiza pesquisas nas áreas de fertilidade do solo, agricultura de precisão e geoestatística com ênfase no aprimoramento de metodologias e desenvolvimento de protocolos de amostragem georreferenciada de solo e manejo de adubações sulfatadas e de gesso agrícola em solos subtropicais.
André Luis Vian, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Atualmente é Professor do Departamento de Plantas de Lavoura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Possui formação em Técnico em Agropecuária, pelo Colégio Agrícola de Frederico Westphalen, campus da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM/CAFW). Graduação em agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria, Campus de Frederico Westphalen (UFSM), realizando estágio de conclusão de curso na Embrapa Soja (CNPSO). Mestrado em Fitotecnia, com ênfase em fisiologia e manejo de plantas pelo Program de Pós-Graduação em Fitotecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Doutorado em Fitotecnia, com ênfase em sistemas de produção vegetal pelo Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Tem experiência na área de manejo e ecofisiologia das espécies produtoras de grãos. Tem como linha de pesquisa, as seguintes temas: Sensoriamento remoto na agricultura, ecofisiologia e manejo de plantas de lavoura, adubação nitrogenada em taxa variável em cereais, uso do nitrogênio pelas plantas de lavoura e agricultura de precisão.
Claudir José Basso, Universidade federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1996), Mestrado (1999) e Doutorado (2003) pela mesma Universidade na área de Ciência do Solo. Atualmente atua como Professor Adjunto III na disciplina de Agricultura Especial I e II e Entomologia Agrícola no Departamento de Ciências Agronomicas e Ambientais da Universidade Federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen, RS. Alem disso, é professor e oriendador do Programa de Pós Graduação em Agronomia: Agricultura e Ambiente (PPGAA-mestrado) campus de Frederico Westphalen, trabalhando com duas linhas de pesquisa: Resíduos Orgãnicos na Produção vegetal; Tecnologias e a Relação com o ambiente no sistema de Produção. Atualmente é Coordenador do Programa de Pós Graduação em Agronomia: Agricultura e Ambiente (PPGAA-mestrado).
Antônio Luis Santi, Universidade federal de Santa Maria, campus de Frederico Westphalen
Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2000), Mestre em Agronomia - Produção Vegetal, Manejo de Grandes Culturas - UFSM (2002) e Doutor em Ciência do Solo - Agricultura de Precisão - UFSM (2007). Coordenador do Laboratório de Agricultura de Precisão do Sul - LAPSUL. Bolsista de Produtividade CNPq - PQ2. É professor Associado I da UFSM/Campus de Frederico Westphalen/RS, ministrando as disciplinas: Uso, Manejo e Conservação do Solo; Agricultura de Precisão e Plantas de Lavoura. Pesquisador nas áreas de Agricultura de Precisão com ênfase no Manejo Georreferenciado de culturas e atributos de solo. Professor orientador no Programa de Pós Graduação em Agronomia, Agricultura e Ambiente e no Programa de Pós Graduação - Mestrado Profissional em Agricultura de Precisão. Atualmente é representante do Fórum dos Pro-Reitores de Pós-Graduação e Pesquisa (FOPROF) na Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão - CBAP e Editor da Seção de Agricultura de Precisão da Revista Engenharia Agrícola. Autor do livro: Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul. Ministrou mais de 500 palestras no Brasil e exterior além de publicar mais de 100 artigos científicos.
Publicado
22-04-2019
Como Citar
BISOGNIN, M.; DE CASTRO PIAS, O.; VIAN, A.; BASSO, C.; SANTI, A. Variabilidade no espaçamento de sementes reduz a produtividade de feijão-comum. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 49, p. e55134, 22 abr. 2019.
Seção
Artigo Científico