Disponibilidade hídrica do substrato e teor de água da semente na germinação de niger

  • Carla Regina Baptista Gordin Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS
  • Silvana de Paula Quintão Scalon Universidade Federal da Grande Dourados
  • Tathiana Elisa Masetto Universidade Federal da Grande Dourados
Palavras-chave: Guizotia abyssinica Cass., estresse hídrico, polietilenoglicol.

Resumo

O niger é uma espécie oleaginosa cujo cultivo encontra-se em expansão, porém, com poucas informações sobre os efeitos de condições adversas, durante a fase de estabelecimento de plântulas. Objetivou-se avaliar os efeitos da disponibilidade hídrica do substrato e do teor de água da semente na germinação de niger. As sementes foram umedecidas pelo método da atmosfera úmida por 0; 24; 48; e 72 horas, obtendo-se os teores de água de 7,0 %; 12,8 %; 16,8 %; e 32,2 %. A semeadura foi feita em substrato umedecido com soluções de PEG 6000, com os seguintes potenciais osmóticos: 0,0 Mpa (controle); -0,1 Mpa; -0,2 Mpa; -0,3 Mpa; e -0,4 Mpa. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 5 (teores de água x potenciais osmóticos), com quatro repetições de 50 sementes. Avaliou-se a primeira contagem, porcentagem de germinação, índice de velocidade e tempo médio de germinação, comprimento da parte aérea e das raízes e massa seca de plântulas. À medida que há redução no potencial hídrico do substrato, a germinação de sementes e o crescimento de plântulas de niger diminuem, independentemente do teor de água, porém, com maior evidência em sementes com teores de água abaixo de 32,2 % e 12,8 %, respectivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
17-09-2015
Como Citar
GORDIN, C. R. B.; SCALON, S. DE P. Q.; MASETTO, T. E. Disponibilidade hídrica do substrato e teor de água da semente na germinação de niger. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 45, n. 3, p. 312-318, 17 set. 2015.
Seção
Produção Vegetal