Controle de plantas voluntárias de soja em cultivo de girassol

Autores

  • Alexandre Magno Brighenti Embrapa Gado de Leite

Palavras-chave:

Helianthus annuus, Glycine max, herbicidas.

Resumo

O cultivo de girassol (Helianthus annuus), semeado na entressafra após a cultura da soja (Glycine max), é prejudicado pela competição imposta por plantas voluntárias. Dois experimentos foram conduzidos a fim de avaliar o controle de plantas voluntárias de soja em cultivo de girassol. O herbicida sulfentrazone (75 g ha-1, 100 g ha-1 e 250 g ha-1) causa fitotoxicidade ao girassol logo após a aplicação, porém, há recuperação das plantas, sem prejuízo à produtividade da cultura. Essas mesmas doses não causam a morte total das plantas voluntárias de soja, entretanto, paralisam, temporariamente, seu crescimento, evitando a competição com a cultura do girassol. Os herbicidas amônio glufosinato e ametryn são eficazes no controle de plantas voluntárias de soja, contudo, os sintomas de fitotoxicidade na cultura do girassol são elevados, refletindo em perdas de massa de matéria seca e produtividade da cultura. Os demais tratamentos não proporcionam controle satisfatório das plantas voluntárias de soja e ainda causam redução na massa de matéria seca e produtividade do girassol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Magno Brighenti, Embrapa Gado de Leite

Plantas Daninhas

Downloads

Publicado

01-09-2015

Como Citar

BRIGHENTI, A. M. Controle de plantas voluntárias de soja em cultivo de girassol. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 45, n. 3, p. 274–281, 2015. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/33999. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Proteção de Plantas