RESISTÊNCIA DE Staphylococcus coagulase POSITIVA E Streptococcus sp. ISOLADOS DO LEITE DE VACAS COM MASTITE CLÍNICA NA BACIA LEITEIRA DE GOIÂNIA

Paulo César Moreira, Luiz Antônio Franco da Silva, Albenones José de Mesquita

Resumo


Verificou-se o espectro de sensibilidade/resistência de 76 cepas de Staphylococcus coagulase positiva e 51 cepas de Streptococcus sp., isolados do leite proveniente de 231 vacas que apresentaram mastite clínica. Utilizou-se o método de difusão em placa, segundo Kirby-Bauer, testando-se 10 princípios ativos: penicilina natural, cloranfenicol, tetraciclina, kanamicina, gentamicina, nitrofurantoína, trimetoprim + sulfametoxazol, enrofloxacina, perlimicina e ceftiofur. As cepas de Staphylococcus coagulase positiva apresentaram um espectro de resistência maior para a penicilina (78,9%), vindo a seguir trimetoprim + sulfametoxazol (59,2%) e nitrofurantoína (57,8%). A maior freqüência de sensibilidade foi encontrada frente à enrofloxacina (96%), secundada pela perlimicina (94%) e ceftiofur (94%). Já para as cepas de Streptococcus sp. encontrou-se um perfil de resistência para a penicilina de 92%, para o cloranfenicol de 74,5% e para o trimetoprim + sulfametoxazol de 52%, enquanto o perfil de sensibilidade para enrofloxacina foi de 96%, para ceftiofur, de 92%, e para perlimicina, de 92%.

PALAVRAS-CHAVE: Mastite bovina; sensibilidade; resistência.


Palavras-chave


Mastite bovina; sensibilidade; resistência

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons

Pesquisa Agropecuária Tropical está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Unported.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.revistas.ufg.br/index.php/pat/about/submissions#onlineSubmissions.

Esta publicação é financiada pelo Programa de Apoio às Publicações Periódicas da UFG (PROAPUPEC)

Visitantes: contador de visitas
Logotipo do IBICT