CONTROLE QUÍMICO DA VAQUINHA (Diabrotica speciosa Germ., 1824) E DA CIGARRINHA VERDE (Empoasca kraemeri Ross & More, 1957) EM FEIJOEIRO

  • Leonardo Barros de Macêdo UFG
  • Antônio Lopes da Silva UFG
  • Cláudio Aparecido Silveira Bayer do Brasil
Palavras-chave: Insecta, controle químico, feijoeiro

Resumo

Foi realizado o presente experimento nos campos experimentais da Escola de Agronomia da Universidade Federal de Goiás, de dezembro de 1996 a março de 1997, para o controle da vaquinha (Diabrotica speciosa) e da cigarrinha verde (Empoasca kraemeri) durante o ciclo da cultura com produtos aplicados via pulverizações. Os tratamentos constaram de Confidor 700 GRDA na dosagem de 0,15 kg/ha + 0,05% de Impress, Bulldock 125 SC na dosagem de 0,05 l/ha, Tamaron 600 CE na dosagem de 0,8 l/ha, Turbo 050 CE nas dosagens de 0,1 1/ha e 0,12 l/ha. Pelos resultados obtidos, concluiu-se que todos os tratamentos controlaram eficientemente a vaquinha. As porcentagens de controle variaram de 82 a 92% bem como da cigarrinha verde com porcentagens de 77 a 92%.

PALAVRAS-CHAVE: Insecta; controle químico; feijoeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-12-2007
Como Citar
MACÊDO, L.; SILVA, A.; SILVEIRA, C. CONTROLE QUÍMICO DA VAQUINHA (Diabrotica speciosa Germ., 1824) E DA CIGARRINHA VERDE (Empoasca kraemeri Ross & More, 1957) EM FEIJOEIRO. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 27, n. 1, p. 79-84, 18 dez. 2007.
Seção
Artigo Científico