COMPOSIÇÃO QUÍMICA DAS GRAMÍNEAS Brachiaria decumbens Stapf cv. Basilisk E Brachiaria ruziziensis Germain & Everard EM DIFERENTES IDADES DE CORTE

  • Beneval Rosa UFG
  • Gudesteu Porto Rocha Universidade Federal de Lavras
  • Kléber Tomás de Resende FCAVJ-UNESP
  • Antônia Ribeiro Zabin
Palavras-chave: Planta integral, folhas, hastes, material morto, minerais

Resumo

Este trabalho foi conduzido no Departamento de Zootecnia da Escola Superior de Agricultura de Lavras, no município de Lavras, Estado de Minas Gerais, no período de julho de 1980 a junho de 1981, para comparar a Brachiaria decumbens Stapf cv. Basilisk e a Brachiaria ruziziensis Germain & Everard em três idades de corte (60, 90 e 120 dias). Utilizou-se um esquema fatorial 3x2, delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições, sendo as três idades de corte e as duas gramíneas os fatores. Foram determinadas as proporções de folhas (F), de hastes (H) e de material morto (MM), bem como os teores médios de matéria seca (MS), de proteína bruta (PB), de fibra bruta (FB), de cálcio (Ca), de magnésio (Mg), de fósforo (P) e de potássio (K). Os resultados permitiram a seguinte conclusão: ambas as gramíneas podem ser usadas tanto para pastejo quanto para fenação com idades entre 60 e 90 dias.

PALAVRAS-CHAVE: Planta integral; folhas; hastes; material morto; minerais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-12-2007
Como Citar
ROSA, B.; ROCHA, G.; RESENDE, K.; ZABIN, A. COMPOSIÇÃO QUÍMICA DAS GRAMÍNEAS Brachiaria decumbens Stapf cv. Basilisk E Brachiaria ruziziensis Germain & Everard EM DIFERENTES IDADES DE CORTE. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 27, n. 1, p. 29-40, 18 dez. 2007.
Seção
Artigo Científico