CONTROLE QUÍMICO DO PULGÃO VERDE (Myzus persicae Sulzer, 1776) E DA VAQUINHA (Diabrotica speciosa Germ., 1824) NA CULTURA DO TOMATE RASTEIRO

  • Antônio Lopes da Silva UFG
  • Iraídes Fernandes Carneiro UFG
  • Danilo Couto UFG
  • Claúdio Aparecido da Silveira Bayer S/A
Palavras-chave: Myzus persicae, diabrotica speciosa, tomateiro, controle químico

Resumo

O efeito de cinco inseticidas aplicados no tomateiro (Lycopersicum sculentum Mill), visando ao controle do pulgão verde, Myzus persicae SULZER e de vaquinha, Diabrotica speciosa GERM, foi testado em um experimento realizado na área experimental do Departamento de Horticultura da Escota de Agronomia da Universidade Federal de Goiás, no período de maio a setembro de 1994. Os tratamentos foram aplicados via pulverização e constaram de Bulldock 125 SC (dosagem de 100 ml/ 100 1 de água); Bulldock 50 CE (25 e 30 ml/100 l de água); Tamaron BR (100 ml/ 100 l de água); Orthene 750 BR (100 ml/ l00 1 de água) e Folidol 600 (100 ml/l00 1 de água); e ainda uma testemunha (sem inseticida). Os resultados obtidos mostraram que todos os tratamentos foram eficientes no controle de M. persicae até sete dias após a aplicação. Aos 14 dias após a aplicação, o Bulldock 50 CE na dosagem de 25 ml/ 100 l de água e o Folidol 600 a 100 ml/ 100 l de água não apresentaram eficiência satisfatória. Com relação à D. speciosa, todos esses produtos foram igualmente eficientes até sete dias após aplicação.

PALAVRAS-CHAVE: Myzus persicae; diabrotica speciosa; tomateiro; controle químico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
17-12-2007
Como Citar
SILVA, A.; CARNEIRO, I.; COUTO, D.; SILVEIRA, C. CONTROLE QUÍMICO DO PULGÃO VERDE (Myzus persicae Sulzer, 1776) E DA VAQUINHA (Diabrotica speciosa Germ., 1824) NA CULTURA DO TOMATE RASTEIRO. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 25, n. 2, p. 93-97, 17 dez. 2007.
Seção
Artigo Científico