FORÇA DE TRABALHO NA AGRICULTURA EM GOIÁS

  • Sônia Milagres Teixeira UFG
  • Alzirene de Vasconcelos Milhomem UFG
  • Gyovanna Guimarães Nunes UCG
Palavras-chave: Demanda, oferta, trabalho agrícola, sazonalidade, Goiás

Resumo

Este trabalho procura estimar a demanda e a geração de emprego num conjunto de atividades agrícolas, fundamentadas em coeficientes técnicos de absorção de mão-de-obra por operação de cultivo, por cultura e calendários agrícolas. Baseia-se em dados empíricos, coletados junto ao serviço de extensão oficial (Emater-GO), além de informações colhidas diretamente dos agricultores, em todas as regiões agrícolas de Goiás, agrupadas segundo as microrregiões homogêneas (MRH) do IBGE. Uma análise de dados secundários do IBGE indicou municípios e cultivos de relevância, enquanto planilhas relativas à cultura e ao uso de mão-de-obra, por município, foram elaboradas, o que permitiu estimativas do estudo, com a utilização de um software desenvolvido pela Fundação Seade, de Campinas (SP). Os resultados evidenciam declínios importantes, através dos anos, tanto em oferta como em demanda por mão-de-obra na agricultura, nas áreas estudadas. Os cultivos de milho, soja e cana-de-açúcar absorvem a maior parte da mão-de-obra empregada, devido ao resultado da extensão das áreas sob plantio, e evidenciam a limitada diversidade das atividades agrícolas no Estado.

PALAVRAS-CHAVE: Demanda; oferta; trabalho agrícola; sazonalidade; Goiás.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
13-12-2007
Como Citar
TEIXEIRA, S.; MILHOMEM, A.; NUNES, G. FORÇA DE TRABALHO NA AGRICULTURA EM GOIÁS. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 29, n. 2, p. 105-114, 13 dez. 2007.
Seção
Artigo Científico