CONTROLE QUÍMICO DO Thrips tabaci (Lind. 1888) NA CULTURA DO ALHO (Allium sativum L.) EM GOIÁS

Autores

  • Natan Fontoura da Silva UFG
  • Antônio Lopes da Silva UFG
  • Jaison Pereira de Oliveira UFG
  • Ronaldo Mota da Silva UFG
  • Demétrio Martinez Palhares UFG

Resumo

Para determinar a eficiência dos inseticidas protiophós (tokuthion 500 CE) nas dosagens de 50 e 100 ml do produto comercial/100 litros de água (125 e 250g i.a/ha); betacyfluthrin bulldock 125 SC) nas dosagens de 5,0 e 10,0m1/100 litros de água (3,125 e 6,25g i.a/ha), comparado com a deltametrina (decis 25 CE) na dosagem de 30ml/100 litros de água (3,75g i.a/ha) no controle do T. tabaci na cultura do alho, instalou-se um experimento no campo da Escola de Agronomia/UFG, aplicando-se os diversos produtos em pulverizações e gastando-se 500 litros de calda de inseticida por ha. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, com 6 tratamentos em 4 repetições. As avaliações foram realizadas nos 3°, 7°, 14° e 21° dias após a aplicação dos inseticidas. Pelos resultados obtidos conclui-se que bulldock foi eficiente na menor dosagem aplicada, com 92,2% de controle até aos 14 dias; tokuthion 500 CE, também na menor dosagem, apresentou eficiência de 97,6% de controle até aos 14 dias; o decis 25 CE controlou 90,4% da praga até 14 dias após aplicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

05-12-2007

Como Citar

SILVA, N. F. da; SILVA, A. L. da; OLIVEIRA, J. P. de; SILVA, R. M. da; PALHARES, D. M. CONTROLE QUÍMICO DO Thrips tabaci (Lind. 1888) NA CULTURA DO ALHO (Allium sativum L.) EM GOIÁS. Pesquisa Agropecuária Tropical, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 13–18, 2007. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/2625. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigo Científico