Reprodução de Trichospilus diatraeae em Diatraea saccharalis após três gerações em Tenebrio molitor

Autores

  • Daniele Fabiana Glaeser Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Faculdade de Ciências Agrárias, Dourados, MS, Brasil.
  • Fabricio Fagundes Pereira Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais, Dourados, MS, Brasil.
  • Elizangela Leite Vargas Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Faculdade de Ciências Agrárias, Dourados, MS, Brasil.
  • Vanessa Rodrigues Ferreira Calado Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Faculdade de Ciências Agrárias, Dourados, MS, Brasil.
  • Kellen Favero Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais, Dourados, MS, Brasil.

Palavras-chave:

Parasitoides, pupas, qualidade biológica.

Resumo

A criação sucessiva de parasitoides em hospedeiros alternativos pode afetar sua qualidade biológica. Trichospilus diatraeae Cherian & Margabandhu, 1942 (Hymenoptera: Eulophidae) tem sido estudado para o controle biológico da broca-da-cana [Diatraea saccharalis (Fabricius, 1794) (Lepidoptera: Crambidae)]. Objetivou-se avaliar se a criação de T. diatraeae, por três gerações, no hospedeiro alternativo Tenebrio molitor Linnaeus, 1758 (Coleoptera: Tenebrionidae), afeta seu desempenho reprodutivo, quando criado, posteriormente, em pupas do hospedeiro natural D. saccharalis. Dois grupos de T. diatraeae foram multiplicados, separadamente e por três gerações: um em pupas de T. molitor e outro em pupas de D. saccharalis. Na sequência, 20 pupas de D. saccharalis foram expostas, por 72 horas, ao parasitismo de fêmeas de T. diatraeae, criado, anteriormente, em pupas de T. molitor ou de D. saccharalis. A criação sucessiva de T. diatraeae no hospedeiro alternativo não afetou o número de pupas parasitadas e de pupas com emergência de parasitoides no hospedeiro natural D. saccharalis e aumentou a longevidade de fêmeas e a razão sexual de T. diatraeae. A progênie, duração do ciclo de desenvolvimento (ovo-adulto), largura da cápsula cefálica de machos e fêmeas e a longevidade de machos de T. diatraeae foram semelhantes entre os tratamentos. T. diatraeae pode ser criado no hospedeiro alternativo T. molitor, por três gerações, sem comprometer seu desempenho reprodutivo, ao ser criado, posteriormente, no hospedeiro natural D. saccharalis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16-07-2014

Como Citar

GLAESER, D. F.; PEREIRA, F. F.; VARGAS, E. L.; CALADO, V. R. F.; FAVERO, K. Reprodução de Trichospilus diatraeae em Diatraea saccharalis após três gerações em Tenebrio molitor. Pesquisa Agropecuária Tropical, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 213–218, 2014. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/25410. Acesso em: 17 abr. 2021.

Edição

Seção

Proteção de Plantas