Estimativa de carbono individual para Araucaria angustifolia

  • Carlos Roberto Sanquetta Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.
  • Ana Paula Dalla Corte Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.
  • Francelo Mognon Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.
  • Greyce Charllyne Benedet Maas Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.
  • Aurélio Lourenço Rodrigues Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.
Palavras-chave: Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. Araucariaceae, fator de expansão de biomassa, razão de raízes.

Resumo

As florestas são importantes sumidouros de carbono que contribuem para mitigar mudanças climáticas. Quantificar o estoque de carbono é fundamental para dimensionar este potencial de mitigação. Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. Araucariaceae é uma espécie florestal chave no sul do Brasil, devido à sua importância ecológica e econômica. Este estudo visou a analisar comparativamente dois procedimentos de estimativa do estoque individual de carbono (C) de A. angustifolia, em povoamentos implantados no sul do Estado do Paraná. Foram determinados os estoques de carbono em trinta árvores, bem como as correlações entre C, variáveis dendrométricas, Fator de Expansão de Biomassa (FEB) e Razão de Raízes (R). Equações de regressão de C, em função do Diâmetro à Altura do Peito (DAP) e altura total (H), foram ajustadas e comparadas com estimativas do volume do fuste (V) combinadas com FEB e R. O DAP e H se correlacionaram significativamente com C, o que não ocorreu com a idade, FEB e R. As equações de regressão de C, em função de DAP e H, se ajustaram bem aos dados e geraram estimativas acuradas. O mesmo ocorreu em relação às equações de volume, que, combinadas com os fatores de expansão, também propiciaram estimativas estatisticamente aceitáveis. Não houve diferença entre os dois procedimentos testados, sendo ambos acurados para estimar o estoque de carbono individual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Roberto Sanquetta, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.

Departamento de Ciências Florestais

Inventário e Manejo Florestal

Ana Paula Dalla Corte, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.

Departamento de Ciências Florestais

Inventário e Manejo Florestal

Francelo Mognon, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

Doutorado, Manejo Florestal

Greyce Charllyne Benedet Maas, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

Doutorado, Manejo Florestal

Aurélio Lourenço Rodrigues, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de Ciências Florestais, Curitiba, PR, Brasil.

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

Doutorado, Manejo Florestal

Publicado
13-03-2014
Como Citar
SANQUETTA, C. R.; DALLA CORTE, A. P.; MOGNON, F.; MAAS, G. C. B.; RODRIGUES, A. L. Estimativa de carbono individual para Araucaria angustifolia. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 1, n. 1, p. 1-8, 13 mar. 2014.
Seção
Engenharia Florestal