ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE FENOTÍPICA DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO NO ESTADO DO MATO GROSSO, BRASIL

  • Fábio Akiyoshi Suinaga
  • Cristina Schetino Bastos
  • Luis Eduardo Pacifici Rangel
Palavras-chave: Gossypium hirsutum, fibra, estabilidade

Resumo

O objetivo deste trabalho foi o de avaliar a adaptabilidade e a estabilidade de cultivares de algodão (Gossypium hirsutum L.), utilizando a metodologia proposta por Eberhart & Russell (1966). Para tanto, onze variedades de algodão foram avaliadas em sete locais do Estado do Mato Grosso, Brasil, em dois anos agrícolas (2002/2003 e 2003/2004). O delineamento experimental empregado foi o de blocos casualizados com quatro repetições e as características avaliadas foram a produtividade de algodão em caroço e a porcentagem de fibra. Com relação à produção de algodão em caroço, as cultivares BRS Aroeira, BRS Ipê, BRS Cedro, BRS Jatobá e Delta Opal demonstraram ampla adaptabilidade e estabilidade para as regiões produtoras do Estado. Entretanto, considerando a porcentagem de fibra, não foram encontradas cultivares de algodão com ampla adaptabilidade e estabilidade nos ambientes estudados.

PALAVRAS-CHAVE: Gossypium hirsutum; fibra; estabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Akiyoshi Suinaga
Embrapa Algodão. Caixa Postal 172, CEP 58107-720 Campina Grande, PB. E-mail: suinaga@cnpa.embrapa.br
Publicado
24-10-2007
Como Citar
SUINAGA, F.; BASTOS, C.; RANGEL, L. E. ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE FENOTÍPICA DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO NO ESTADO DO MATO GROSSO, BRASIL. Pesquisa Agropecuária Tropical (Agricultural Research in the Tropics), v. 36, n. 3, p. 145-150, 24 out. 2007.
Seção
Artigo Científico