ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE MILHO DESTINADOS À SILAGEM EM BACIAS LEITEIRAS DO ESTADO DE GOIÁS

Jackson Silva e Oliveira, Fausto de Souza Sobrinho, Fernando Alvarenga Reis, Gerson Augusto da Silva, Sebastião Nunes da Rosa Filho, José Junio Rodrigues de Souza, Francisco da Mota Moreira, Josimar Alberto Pereira, Waldivino Gomes Firmino

Resumo


Durante o período seco do ano as pastagens tornam-se deficientes sendo necessário o uso de uma fonte adicional de volumoso. A silagem de milho continua sendo uma das melhores opções de suplementação nesse período. O objetivo deste trabalho foi verificar, em três regiões do Estado de Goiás, o comportamento produtivo de alguns híbridos de milho quando destinados à produção de silagem. Foram avaliados nove híbridos, originários de diferentes empresas produtoras de sementes. Os experimentos foram conduzidos em dois anos consecutivos (safras 2002/2003 e 2003/2004), nas bacias leiteiras dos municípios de Morrinhos, Ipameri e Senador Canedo. O delineamento experimental foi blocos completos casualizados, com três repetições e as parcelas tiveram duas linhas de 8,0 m de comprimento. Observaram-se diferenças significativas entre os híbridos para produtividade de matéria seca e potencial da silagem para produção de leite, em quase todos os locais. Constatou-se acentuada interação entre os híbridos e os locais de avaliação para essas duas características, evidenciando a necessidade de recomendação regionalizada dos híbridos. De modo geral, os híbridos Valent e Tork apresentaram comportamentos mais estáveis em relação ao potencial da silagem para produção de leite.

PALAVRAS-CHAVES: Volumoso; suplementação; Zea mays.


Palavras-chave


Volumoso; suplementação; Zea mays

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons

Pesquisa Agropecuária Tropical está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Unported.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.revistas.ufg.br/index.php/pat/about/submissions#onlineSubmissions.

Esta publicação é financiada pelo Programa de Apoio às Publicações Periódicas da UFG (PROAPUPEC)

Visitantes: contador de visitas
Logotipo do IBICT