Para a Historiografia das Maestras em Portugal

mulheres maestras sob ditadura (1926-1974)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v21.69361

Palavras-chave:

Mulheres maestras. Estado Novo. Ideologia. Redes de sociabilidade.

Resumo

Josephinne Amann (1840-1887) foi a primeira mulher a reger uma orquestra em Portugal, em 1879. Foi apenas quase meio século depois que Francine Benoît (1894-1990) se apresentou à frente de uma orquestra de mulheres, em 1928. Nas décadas entre 1930 e 1960 mais mulheres se aventuraram na direção de orquestra, entre as quais se salientam por atividade regular Berta Alves de Sousa (1906-1997), Natércia Couto (1924-1999) e Elvira de Freitas (1927-2015). Mas a carreira de regente de todas estas mulheres foi curta.

O percurso das mulheres maestras em Portugal foi marcado pelo regime político vigente e pelas suas relações com este, bem como pela ideologia de género dominante e respectiva opressão exercida sobre as mulheres. Neste artigo pretende-se traçar uma genealogia das mulheres maestras em Portugal durante período do autoritarismo de Estado (1926-1974).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

25-09-2021 — Atualizado em 14-11-2021

Versões

Como Citar

Lopes Braga, H. (2021). Para a Historiografia das Maestras em Portugal: mulheres maestras sob ditadura (1926-1974). Revista Música Hodie, 21. https://doi.org/10.5216/mh.v21.69361 (Original work published 25º de setembro de 2021)

Edição

Seção

Artigos