A música-teatro brasileira como projeto de modernização: algumas reflexões a partir de obras de Jocy de Oliveira e Gilberto Mendes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v21.67359

Palavras-chave:

música-teatro, teatro musical, música contemporânea brasileira, identidade, Jocy de Oliveira, Gilberto Mendes

Resumo

Este trabalho busca identificar elementos característicos da música-teatro brasileira e compreender de que maneira ela responde às expectativas de um país em processo de criação de sua identidade. Partimos do pressuposto de que a música-teatro brasileira surge por meios e razões diferentes de sua correspondente europeia e que isso se dá em um contexto sociocultural muito diverso. Para entender tal contexto, recorremos à reflexão conduzida por Canclini (1990) sobre a ideia equivocada de que o modernismo artístico deveria ser reflexo da modernização social, trazendo o debate para o contexto latino-americano, chegando à noção de hibridação. Para observar como o processo de modernização afeta a música-teatro, analisamos obras de Jocy de Oliveira e Gilberto Mendes, refletindo sobre seus modos de criação e recepção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando de Oliveira Magre, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, Brasil

Doutorando em Música pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Musicologia pela Universidade de São Paulo (2017), com pesquisa sobre a obra de música-teatro do compositor brasileiro Gilberto Mendes. Especialista em Regência Coral (2015) e licenciado em Música (2013), ambos pela Universidade Estadual de Londrina. É colaborador no Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM/FCSH-Universidade Nova de Lisboa), onde desenvolveu pesquisa em 2016/2017 com auxílio da bolsa BEPE/FAPESP e em 2018/2019 com bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia do governo português. Membro dos seguintes grupos de pesquisa: Grupo de Estudos da Música Brasileira dos séculos XX e XXI (Unicamp/Ciddic), Centro de Estudos em Música e Mídia (Unip/MusiMid) e Grupo de Investigação em Música Contemporânea (CESEM/UNL).

Denise Garcia, Universidade Estadual de Campinas

Compositora paulista, professora doutora do Instituto de Artes da Unicamp. Bacharel em Música pela USP (1985), Mestre em Artes pela Unicamp (1993) e Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (1998). Realizou estudos de composição na Musikakademie Detmold e na Musikhochshule de Munique (1979-1984). Fez estágio de doutorado junto ao INA-GRM em Paris. Realizou pós-doutorado junto à Escola de Música da UFRJ (2007). Sua pesquisa musicológica se concentra na área de análise de música eletroacústica, tendo se dedicado nos últimos anos a pesquisar, documentar e analisar a música eletroacústica brasileira. Como compositora trabalhou em pesquisas interdisciplinares junto ao LUME/UNICAMP, tendo composto música para importantes produções teatrais desse Núcleo, assim como junto a projetos do Departamento de Dança da Unicamp. Nos anos 90 desenvolveu trabalhos na área da música eletroacústica, gênero musical que responde pela maior parte de sua publicação em Cds. Tem dois Cds solos publicados e várias publicações de obras em coletâneas. Nos últimos anos tem composto também obras para Orquestras Sinfônicas. Foi Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Música e Coordenadora dos Cursos de Pós-graduação do Instituto de Artes da Unicamp.

Downloads

Publicado

28-06-2021

Como Citar

de Oliveira Magre, F., & Garcia, D. (2021). A música-teatro brasileira como projeto de modernização: algumas reflexões a partir de obras de Jocy de Oliveira e Gilberto Mendes. Revista Música Hodie, 21. https://doi.org/10.5216/mh.v21.67359

Edição

Seção

Artigos