Do recurso ao cravo no século XX em óperas de Ruy Coelho, Augusto Machado e Joly Braga Santos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/mh.v21.66931

Palavras-chave:

cravo, cravo moderno, ópera, organologia

Resumo

Quando, possivelmente sob influência de Wanda Landowska, Ruy Coelho (1889-1986) inclui o cravo no efectivo orquestral da sua primeira ópera, torna-se assim o primeiro compositor português moderno a recorrer a este então recém-redescoberto instrumento. Desse momento em diante volta a utilizá-lo em várias outras obras, e no contexto lusitano será um dos poucos a fazê-lo. A presente comunicação pretende reflectir sobre o imaginário conceptual e sonoro que sustentou esta renovada utilização do cravo, quais os desafios técnico-organológicos associados e qual a sua razão de existência e significações possíveis no contexto dramático-musical das óperas portuguesas do século XX que dele fizeram uso: Serão da infanta (1913) e Rosas de todo o anno (1921) de Ruy Coelho, Rosas de todo o anno (1920) de Augusto Machado (1845-1924) e Trilogia das Barcas (1970) de Joly Braga Santos (1924-1988).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edward Ayres de Abreu, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal, edward@mpmp.pt

Edward Ayres de Abreu estudou Piano no Conservatorio Nacional, Composição na Escola Superior de Musica de Lisboa e Ciencias Musicais na Faculdade de Ciencias Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde defendeu em 2014 a dissertação de mestrado “Ruy Coelho (1889 1986): o compositor da geração d’Orpheu”. Actualmente é doutorando em Musicologia Historica enquanto bolseiro da FCT, Fundação para a Ciencia e a Tecnologia e colaborador do CESEM, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical. É membro fundador e Presidente da Direção do MPMP, Movimento Patrimonial pela Muúsica Portuguesa, associação criada em 2009, no ambito da qual tem concebido e coordenado diversos projectos editoriais e de programação musical. Pelo seu trabalho como musicólogo foi distinguido com o 2.º Prémio do Concurso Otto Mayer-Serra (2017) da Universidade da Califórnia, Riverside, e com o Prémio Joaquim de Vasconcelos (2019) da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música.

Downloads

Publicado

12-03-2021

Como Citar

Ayres de Abreu, E. (2021). Do recurso ao cravo no século XX em óperas de Ruy Coelho, Augusto Machado e Joly Braga Santos. Revista Música Hodie, 21. https://doi.org/10.5216/mh.v21.66931

Edição

Seção

Artigos