O rap “exótico” na Itália contemporânea: entre direitos negados e nova cidadania

Palavras-chave: Música contemporânea, Rap, Análise de conteúdo

Resumo

A entrada tardia da cultura hip-hop e da música rap na Itália não impediu o surgir deste género musical nos principais centros urbanos da península. Depois da Golden Age do rap italiano, nos anos Noventa, e uma subsequente crise, no início da década de Dois-mil novos rappers emergem. Entre eles, os ditos rappers “exóticos”, de língua e cultura italianas, mas de origens geralmente africanas ou asiáticas. O artigo aqui apresentado procura analisar a contribuição que primeiro os rappers da rede G2, depois os rappers (e trappers) mais novos, como Laioung e Ghali, deram ao movimento rap italiano, focando no tipo do seu engajamento sociopolítico, com ênfase espacial nas questões da cidadania, da identidade nacional e do multiculturalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luca Bussotti, Instituto Universitário de Lisboa CEI ISCTE-IUL, Lisboa, Portugal
Doutor em Sociologia do Desenvolvimento pela Universidade de Pisa (Itália), Luca Bussotti foi docente de Sociologia na Universidade de Pisa, Professor Convidado na Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique), Diretor Académico da Universidade Técnica de Moçambique, sendo atualmente Professor Associado Visitante na Universidade Federal de Pernambuco e Investigador no Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL, Lisboa. Conta com cerca de 20 livros de autoria e como organizador e dezenas de artigos em revistas científicas internacionais. É especialista em Estudos Africanos e em Estudos Culturais, com referência especial ao contexto italiano.  

Referências

BANDIRALI, Luca. Nuovo Rap Italiano. La rinascita. Viterbo: Stampa Alternativa, 2013, 192 p.

BECCARIA, Antonella. Uno bianca e trame nere. Roma: Stampa Alternativa/Nuovi Equilibri, 2007, 164 p.

BELTRAMELLI, Marco. Laioung – Il discorso dell’imperatore: come Laioung cambierà il rap italiano, Rock.it, 26/04/2017. Disponível em: https://www.rockit.it/intervista/laioung-ave-cesare-veni-vidi-vici-trap. Acesso em 6 Abril 2018

BLUMI TRIPODI, Marta. Hip hop e immigrazione: Hotmc intervista Zanko. Hotmc. Disponível em: https://hotmc.com/hip-hop-e-immigrazione-hotmc-intervista-zanko/, 01/12/2008. Acesso em 30 Dezembro 2017

BRUSATI, Giulio. Laioung, il lato positivo del nuovo rap italiano. L’Arena, 23/04/2017. Disponível em: http://www.larena.it/home/spettacoli/musica/laioung-il-lato-positivodel-nuovo-rap-italiano-1.5649356. Acesso 3 Novembro 2017

BUSSOTTI, Luca. La cittadinanza degli Italiani. Milano: Franco Angeli, 2002, 320 p.

BUSSOTTI, Luca. A representação da África na música italiana contemporânea: do após-guerra até hoje. Sociedade e Cultura. Goiânia, vol. 20, n. 1, pp. 201-226, 2017

CAMPO, Alberto. Nuovo? Rock?! Italiano! Firenze: Giunti, 1996, 144 p.

CASTAGNERI, Alice. Tommy Kuti, il rapper afroitaliano che combatte i pregiudizi: ‘Racconto le storie dei ragazzi come me’. La Stampa, 12/06/2017

Chi è Tommy Kuty, il rapper afro-italiano che arriva da Brescia. Supereva, Disponível em: www.supereva.it, 2018. Acesso em 7 Junho 2018

CURCI, Marilina. Ghali, da talento del rap italiano a icona di stile. Grazia, 6/12/2017. Disponível em: https://www.grazia.it/moda/celebrity-style/ghali-stile-album-adidas. Acesso em 29 Dezembro 2017

Ghali, ce rappeur d’origine tunisienne qui fait danser l’Italie. Huffpostmaghreb. Disponível em: https://www.huffpostmaghreb.com/2017/08/09/ghali-rap-tunisie_n_17709394.html. Acesso em 3 Abril 2018

GRIOT. The life of Italian rappers beyond hip-hop, 28/12/2015. Griot. Disponível em: http://griotmag.com/en/life-italian-rappers-beyond-hip-hop. Acesso em 3 Abril 2018

JF. Le scelte imbarazzanti delle Major: Trope d’Elite. Rapburger, 15/06/2012. Disponível em: http://www.rapburger.com/2012/06/15/le-scelte-imbarazzanti-delle-major-troupe-delite. Acesso em 5 Agosto 2017

MESSINETTI, Silvio & DIONESALVI, Claudio. 20 anni di Gramna. Il Manifesto, 28/01/2010. Disponível em: http://www.inviatodanessuno.it/?p=833. Acesso: 8 Junho 2018

PICCOLO, Adalberto. Tommy Kuti, il rapper “afroitaliano” che rifiuta la trap. Fourzine, 21/03/2018. Disponível em: www.fourzine.it/tommy-kuty-intervista. Acesso 9 Junho 2018

RIGAMONTI, Daniele Ghali: il futuro del rap è saper attrarre il pubblico con argomenti “impegnati”? Artspecialday, 30/07/2017. Disponível em: http://www.artspecialday.com/9art/2017/07/30/ghalifuturo-rap-argomenti-impegnati. Acesso 9 Junho 2018

SAVIANO, Roberto. Ghali, il ragazzo della via rap che canta l’Islam e i migranti. La Repubblica, 04/06/2017. Disponível em: http://www.repubblica.it/spettacoli/musica/2017/06/04/news/ghali_il_ragazzo_della_via_rap_che_canta_l_islam_l_isis_e_i_migranti-167196276. Acesso em 30 Dezembro 2017

SEGALINI, Bruno. Fiamme e rock’n rol. Romanzo veridico sullo sgombero del Leoncavallo. Milano: Shake Edizioni, 1989, 168 p.

SPOSATO, Eliseno Dj Luigi – Cosenza. Rock.it. Disponível em: https://www.rockit.it/intervista/cosenza-14-04-2000. Acesso em 3 Abril 2018

VACALEBRE, Federico. Caparezza: “Io, l’acufene, il rap e Jung”. Il Mattino. Disponível em: https://www.ilmattino.it/spettacoli/musica/caparezza_prisoner_709_vacalebre_gazze-3241175.html, 15/09/2017. Acesso em 30 Dezembro 2017

ZUKAR, Paola. Rap. Una storia italiana. Milano: Baldini e Castoldi, 2017, 279 p.

Publicado
23-08-2019
Como Citar
Bussotti, L. (2019). O rap “exótico” na Itália contemporânea: entre direitos negados e nova cidadania. Revista Música Hodie, 19. https://doi.org/10.5216/mh.v19.53443
Seção
Artigos