A Mobilização do Cálcio em Biomphalaria glabrata Exposta a Diferentes Quantidades de Carbonato de Cálcio

Autores

  • Aline Cristina Magalhães UFG
  • Jairo Pinheiro
  • Clélia Christina Mello-Silva

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpt.v40i1.13916

Palavras-chave:

Esquistossomose, Biomphalaria glabrata, Cálcio.

Resumo

O cálcio é essencial na vida dos moluscos, pois está relacionado com a formação da concha e com vários processos metabólicos fundamentais para manter a sua homeostase. O objetivo deste trabalho foi verificar a mobilização do cálcio na hemolinfa e na concha de Biomphalaria glabrata
exposta a diferentes soluções de carbonato de cálcio. Para este estudo, foram utilizados caramujos com 60 dias de vida, distribuídos em cinco grupos, quatro expostos a diferentes soluções (20, 40, 60 e 80mg/L) de carbonato de cálcio e um controle. O tempo total de exposição foi de 45 dias.
Quinzenalmente, os caramujos eram sacrificados por meio de punção cardíaca para extração da hemolinfa. A concentração de cálcio na hemolinfa foi determinada usando-se kits de diagnóstico (Doles Reagentes®) e o conteúdo de cálcio nas conchas, pelo método de volumetria de complexação
modificada. Os resultados demonstraram que houve aumento de cálcio na hemolinfa e diminuição de cálcio na concha aos 15 dias de exposição a 20mg/L de carbonato de cálcio. Nos demais grupos expostos, verificou-se que a concentração de cálcio na hemolinfa é inversamente proporcional à
quantidade de cálcio na concha. Concluiu-se que, em moluscos expostos a diferentes quantidades de cálcio, ocorre uma mobilização frequente do cálcio na hemolinfa e na concha de acordo com a quantidade de cálcio disponível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-14

Como Citar

MAGALHÃES, A. C.; PINHEIRO, J.; MELLO-SILVA, C. C. A Mobilização do Cálcio em Biomphalaria glabrata Exposta a Diferentes Quantidades de Carbonato de Cálcio. Revista de Patologia Tropical / Journal of Tropical Pathology, Goiânia, v. 40, n. 1, p. 46–55, 2011. DOI: 10.5216/rpt.v40i1.13916. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/iptsp/article/view/13916. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS / ORIGINAL ARTICLES