ALTERNATIVAS AO USO DE ANTIBIÓTICOS COMO PROMOTORES DE CRESCIMENTO PARA FRANGOS DE CORTE: 1. PROBIÓTICOS

  • Douglas Emygdio de Faria Docente do Departamento de Zootecnia FZEA/USP/Pirassununga
  • Ana Paula Ferreira Henrique ootecnista, mestre em Zootecnia
  • Raul Franzolin Neto Docente do Departamento de Zootecnia FZEA/USP/Pirassununga
  • Alessandra Aparecida Medeiros Zootecnista, mestre em Zootecnia
  • Otto Mack Junqueira Docente do Departamento de Zootecnia FCAV/UNESP/Jaboticabal,
  • Daniel Emygdio de Faria Filho Docente do Departamento de Zootecnia NCA/UFMG/Montes Claros, MG
Palavras-chave: Produção de aves

Resumo

Desenvolveu-se um experimento para avaliar o efeito de diferentes antibióticos, probióticos e suas combinações sobre o desempenho e rendimento de carcaça de frangos de corte e também para verificar a sensibilidade dos probióticos aos antibióticos e ao agente anticoccidiano utilizados. Empregaram-se 1.440 pintos com um dia de idade, machos, da linhagem Hubbard, distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 3 x 3, com os fatores antibióticos na ração (sem antibiótico, virginiamicina e avilamicina) e probióticos na ração (sem probiótico, probiótico A e B), totalizando nove tratamentos com quatro repetições de quarenta aves cada. Os probióticos foram: A) Streptococcus faecium, Lactobacillus acidophilus e Saccharomyces cerevisiae; B) Bacillus subtilis. Verificou-se que os probióticos testados podem ser empregados conjuntamente com a monensina sódica (agente anticoccidiano) e a avilamicina (promotor de crescimento). No entanto, a presença de virginiamicina pode comprometer a viabilidade dos probióticos, dada a sensibilidade, in vitro, dos microrganismos presentes nos probióticos. Não houve interação entre probióticos e antibióticos para as variáveis avaliadas. Houve redução da mortalidade quando se utilizaram os probióticos A ou B e aumento na presença de avilamicina para o período de 1 a 42 dias de idade. As demais variáveis de desempenho e o rendimento de carcaça e de partes não foram modificados pela administração dos probióticos, antibióticos ou pela combinação desses produtos.

PALAVRAS-CHAVES: Aditivos, aves, desempenho, rendimento de carcaça, rendimento de partes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
02-04-2009
Como Citar
Faria, D. E. de, Henrique, A. P. F., Franzolin Neto, R., Medeiros, A. A., Junqueira, O. M., & Faria Filho, D. E. de. (2009). ALTERNATIVAS AO USO DE ANTIBIÓTICOS COMO PROMOTORES DE CRESCIMENTO PARA FRANGOS DE CORTE: 1. PROBIÓTICOS. Ciência Animal Brasileira, 10(1), 18-28. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/5885
Seção
Produção Animal